Que me desculpem.

“Eu quero foder foder
achadamente
se esta revolução
não me deixa
foder até morrer
é porque
não é revolução
nenhuma
a revolução
não se faz
nas praças
nem nos palácios
(essa é a revolução
dos fariseus)
a revolução
faz-se na casa de banho
da casa
da escola
do trabalho
a relação entre
as pessoas
deve ser uma troca
hoje é uma relação
de poder
(mesmo no foder)
a ceifeira ceifa
contente
ceifa nos tempos livres
(semana de 24 x 7 horas já!)
a gestora avalia
a empresa
pela casa de banho
e canta
contente
porque há alegria
no trabalho
o choro da bebé
não impede a mãe
de se vir
a galinha brinca
com a raposa
eu tenho o direito
de estar triste”

Adília Lopes

2 thoughts on “Que me desculpem.

  1. meteamorfode

    Neste Portugal imenso

    Quando chega o verão,

    Não há um ser humano

    Que não fique com tesão.

    É uma terra danada,

    Um paraíso perdido.

    Onde todo mundo fode,

    Onde todo mundo é fodido.

    Fodem moscas e mosquitos,

    Fodem aranhas e escorpiões,

    Fodem pulgas e carrapatos,

    Fodem as empregadas com os patrões.

    Os brancos fodem os negros

    Com grande consentimento,

    Certos ‘amigos’ fodem as noivas

    Até quase à hora do casamento.

    General fode o Ministro,

    Autarca a ordem de prisão.

    E os gajos da Assembleia da República

    Vivem fodendo a nação.

    Os freis fodem as freiras,

    O padre fode o sacristão,

    Até na seita do crente

    O pastor fode o irmão.

    Todos fodem neste mundo

    Num capricho que alivia.

    E os danados dos VIP’S

    Fodem os putos da Casa Pia.

    Parece que a natureza

    Vem-nos a todos dizer,

    Que vivemos neste mundo

    Somente para foder.

    E você, meu nobre amigo

    Que agora se está a entreter,

    Se não gostou da poesia

    Levante-se e vá-se foder!!!

    Autor Desconhecido

    (Também pudera, se fosse conhecido, tava fodido)

Deixar uma resposta