Às minina.

Há uma coisa que eu acho fantástica. Não sei se será bem coisa, mas como não sei como a defenir, chamo-lhe coisa.
Quando estou perto de viver situações de grande tensão, de grande exigência psicológica (na próxima sexta feira tenho o café concerto na minha escola) tenho sempre a tendência para falar português com o sotaque africáááno. Desde que descobri o Kuduro (abençoado seja) a minha vida mudou. Compilicaçon, prá quéé?
A vida são dois dias. Por isso o ritmo africano instalou-se na minha vida e, novamente por isso, tenho a certeza de que vai tudo correr muito bem, numa onda positiva.

Deixar uma resposta