Ecos tardios.

20081108-87186-0Recebi esta imagem que é de uma colega, que veio dos países nórdicos expressamente para se associar aos colegas portugueses na manif do passado dia oito. Como boa nórdica, adorou o nosso calor e a nossa hospitalidade, tendo já feito saber ao ministério do seu país que irá rescindir o seu vínculo contratual e passar a residir neste nosso Portugal.

Abordada sobre quais serão as suas expectativas em matéria laboral, ou seja, o que estava a pensar fazer no nosso país face às dificuldades que os professores portugueses atravessam, respondeu que iria mudar de profissão apesar de possuir uma autocaravana que lhe permitiria aligeirar as dificuldades que a colocação numa zona interior lhe trariam.  Acrescentou ainda que ficou bastante impressionada com os colegas portugueses de bigode, pois fizeram-na regressar a um tempo, já ido, em que tinha uma sexualidade activa e variada, quando esteve colocada numa escola duma região em que a população local era maioritariamente oriunda de Portugal.

1 thought on “Ecos tardios.

  1. cândida

    para além disso, o professor precisa de estar actualizado sobre o k se passa no mundo, ler, ir ao cinema, etc., momentos de absoluto “preguiça”, que lhe permitam absorver o mundo para mais tarde, em situação de aula, estar disponível para ensinar a matéria e dar-se aos alunos

Deixar uma resposta