Arquivo mensal: Novembro 2008

Falta festa.

20081108-87167-5Esta coisa da papelada a que os professores estão sujeitos, desde que foi implementada esta nova reforma, veio trazer, realmente, falta de tempo para a verdadeira vocação dos professores, que é pesquisar, informar-se e ensinar. Não é treta dos professores, existe mesmo uma sobrecarga de papeis e bastava a tutela ordenar que todas as horas da componente não lectiva (para quem não sabe, são aquelas horas em que não são dadas aulas mas os professores têm de lá estar a fazer não sei muito bem o quê…) fossem ocupadas de acordo com os horários dos docentes e aproveitadas para preencherem os tais papeis. Só aqui, com este pequeno pormenor, iriam conseguir reduzir parte do mau estar que se vive nas escolas. Claro que o estatuto da carreira docente continua a fazer mossa, mas isso é outro assunto…

Porque eles merecem.

vigilantes

Quando chega este tempinho mais fresco, dá sempre a saudade do belo calor a inundar o belo do corpo. Eu sei que nem toda a gente gosta de calor. Eu gosto tanto do calor como do frio. O que eu não suporto mesmo é a chuva, mas isso parece-me um daqueles lugares comuns, que já não se aguentam, que acho que a conversa vai mesmo é ficar por aqui.

Claro que há sempre aquela tentação de continuar a falar sobre a praia, dos banhos maravilhosos que se tomam, descontraidamente, tão descontraidamente que por vezes nos distraimos e nos começamos a afogar. É nestas alturas que nos lembramos daqueles que, abenegadamente, se atiram ao mar de uma forma destemida e nos vão salvar. Para esses seres humanos corajosos, um grande bem hajam.

20081028-85875-1

Era, não era?

20081101-86343-9Hoje vou ter uma longa tarde de trabalho, com reunião a seguir para tratar de uma data de coisas. Vai ser um dia chato porque o dia começou com muita chuva e, quando assim é, a coisa cinzenta prolonga-se. Claro que a minha vontade, como de muitos outros seres humanos viventes… não seria propriamente passar o dia a trabalhar, mas como o que tem de ser, tem muita força (adoro estes lugares comuns) vou mas é almoçar, pegar na bela da Scarabeo e partir em busca da vida… escolar.

Quero ver em 2009.

magalhoaEsta imagem foi-me enviada por mail e não consegui resistir de a colocar aqui, embora eu consiga resistir a muita coisa. Esta onda de gozo faz-me lembrar a onda de gozo que invadiu o país nos últimos tempos do PM Cavaco, que hoje continuamos a gramar, noutras funções. Na altura, a alternativa foi o incrível Guterres (se ainda fosse o Hulk do fêcêpê…) que todos sabemos no que deu e, hoje, a alternativa é a incrível Manuela. Por tudo isto valha-nos a Ana Malhoa, que é uma bimba que não se pode, mas que ao menos já todos sabemos com o que podemos contar dela.

O azul.

azuAqui há dias, a minha rica senhora escreveu no seu blog que a vida é complicada e que não sabemos dar valor ao que temos, foi mais ou menos assim. Não consigo estar mais de acordo com ela (sim, não é todos os dias…) e acho mesmo que a maioria das pessoas deixa passar ao lado os momentos bons da vida. Sem querer ser muito zen ou o diabo que o valha, gostava de começar a aprofundar a minha interioridade. Pode parecer, à primeira vista que estou a ficar velho, com medo da morte e que me quero virar para a religião (cruzes canhoto) mas, basicamente, não é nada disso. Apenas gostava de ficar mais tranquilo, de abordar a vida mais pacificamente e não de uma forma tão stressada. Isto tudo porque, embora não pareça, eu sou bastante stressado e tenho reações que podem ser bastante tempestuosas e, para continuar assim… vou ali venho já.

Eu tento evitar.

3007089796_5aaa552f22O futebol, por vezes, deixa-me irritado. Por vezes reconheço que fico a roçar o irracional. Nunca fui de jogar futebol e sempre pratiquei atletismo, o que me levou a desenvolver, enquanto praticante, um sentimento de revolta pela importância dada aos futebolistas que já na altura eram idolatrados e nem sequer correr sabiam. Foram outros tempos e desde que deixei de correr comecei a virar-me para outros assuntos e entre eles estava, claro está, a centralização a que este país se amarrou. E é aí que entra o futebol. O fêcêpê encarnou a grande vontade de afirmação desta região que tão mal tratada é pelos portugueses. Dizem que somos rudes, pouco polidos, bairristas, complexados, corruptos, mafiosos, tudo e mais alguma coisa, que é sempre alicerçada numa imprensa tendenciosa e perversa na manipulação das verdades. As grandes corrupções, os grandes desfalques e os grandes desvios de dinheiro são quase todos feitos em Lisboa, e isto porque muito simplesmente é lá que está o dinheiro, é lá que se decide para onde vai o dinheiro público. O futebol acaba por sofrer do mesmo mal. Vamos sempre ser vistos assim. Claro que somos pequenos, claro que o SLB, o tal clube da gaivota, é o maior clube português, não é preciso ser muito inteligente para o conseguir constatar, mas o fêcêpê é o melhor em Portugal e isso, doi a muito boa gentinha, que não o quer admitir e que ainda julga que está no tempo da outra senhora. Temos pena, temos muita pena, mas o país evoluiu e cá para cima também sabemos fazer as coisas bem feitas. E enquanto continuarmos com este complexozinho… a roda vai andando sempre para a frente.

Deu-se por encerrada a manif.

20080623-71297-1Esta colega durante a manif revelou sempre alguma dificuldade em perceber as palavras de ordem que diziam respeito à papelada que todos os professores diziam ter de preencher. Montanhas de papeis? Quais papeis? Perguntava ela. Será que me estou a esquecer de preencher alguma coisa? Como ninguém lhe soube responder que raio de papeis eram aqueles, andou desesperadamente atrás de um repórter de televisão para manifestar a sua indignação. Quando, finalmente encontrou um, este disse-lhe que não queria nada, mas mesmo nada, saber do problema dela pois se os outros diziam que tinham montanhas de papeis para preencher, era porque tinham mesmo. E mainada. Ah, a menina, que vem para aqui armar confusão com as palavras de ordem. Meta-se já no seu autocarro e espere lá, sentadinha, até a manif acabar.

Manif com esperança.

20081104-86745-7Já houve tempos em que a profissão de professor compensava financeiramente e se podia juntar uns tostões para comprar um bmw. Hoje a coisa já não é bem assim e, para além de se ter de juntar os tostões para conseguir pagar a casa, o bmw fica mesmo é pelos sonhos de muitos professores.

Sucesso.

20081104-86745-0Parece que a manif foi um sucesso. Consta-se que eram mais de cento e vinte mil, já com reformados, por isso pode-se considerar um sucesso. Claro que apareceu de tudo: uns mais divertidos, outros mais sérios e compenetrados no dever sindicalista da coisa, mas todos com a certeza de que algo vai mal no reino dos céus.

Solidários.

baQuando souberam dos colegas portugueses, que tinham partido do Luxemburgo, estes professores de artes holandeses resolveram associar-se a esta iniciativa e rumaram a Lisboa, para participarem na manif, num balão com uma personagem bem conhecida do meio e que teve como objectivo alertar para a importância dos artistas no mundo actual.

Já estão a chegar.

balloDe todo o país estão a chegar colegas para a manif. Por mar, terra e ar. Os meios de locomoção são dos mais variados e é digno de realce este balão que trouxe para a capital três professores que estão colocados no Luxemburgo e que leccionam a disciplina de Português aos filhos dos nossos compatriotas que por lá trabalham.

Ai se lhes dá para comer.

2989335136_30e02f03a8Continuo preocupado. Aproxima-se o grande dia da manif dos professores e ainda não vi notícia nenhuma sobre o que é que se vai comer. Vão ser muitas horas em pé, a marchar. Aquilo vai abrir o apetite aos colegas. Vai ser um problema alimentar aquela gente toda. Eu nem quero ver a confusão que vai ser. Acho que está previsto instalarem uma cozinha de campanha, que irá servir refeições a três euros, maioritariamente composta por arroz de frango, sopa e uma bebida de cápsula. Estou desconfiado que os colegas não vão no arroz de frango, parece-me que é bastante desmoralizador ir para uma manif e depois levar com um arroz de frango, se ainda estivessem na praia, ainda se percebia, agora assim, não. Mais vale ir a um sítio qualquer comer um bitoque.

Bem que gostava…

tunisia03514Esta Scarabeo andou pelo norte de África. Foi tirada de uma revista da dita especialidade. Fiquei invejoso do homem que está ali, montado na Scarabeo e ao lado de tantos camelos. Cada vez tenho mais vontade de fazer uma viagem de Scarabeo, mas já me contentava por Espanha, todo o norte de Espanha, que acho muito bonito. Vou acabar por ter de a fazer sozinho, o que também não está mal, mas as minhocas obrigam a tal. Como já estou a ficar entradote, também não posso esperar muito mais tempo, o que quer dizer que não posso esperar até elas serem adolescentes e ficarem em casa sozinhas… uma pena.