Arquivo mensal: Setembro 2009

Paulo Bento: o crime compensa.

20090809-113260-3

Muito sinceramente, hoje só tinha duas hipóteses: ou falava do Presidente da República ou então virava-me para o Paulo Bento. Se pensarem um bocadinho, a resposta é clara. Paulo Bento. Porquê? Porque o Presidente da República é uma seca, não diz nada frontalmente, é tudo por meias palavras e depois não se percebe nada do que ele diz porque se baba todo. Já o Paulo Bento é diferente. O homem diz tudo com uma excessiva tranquilidade, muito pausadamente entre cada palavra, o que me levou ao desespero (isto no início) mas que aprendi a saborear e agora já só me rio. Quanto ao conteúdo, o meu treinador preferido para o Sbordem (mas somente para o Sbordem) diz uma data de barbaridades pela boca fora, quase todas sem nexo e com muito pouco tino, mas tem um mérito: diz todo aquele chorrilho de bacoradas muito depressa, o que se torna ainda mais engraçado, pelo contraste com a sua habitual postura tranquila. Isto tudo para dizer o quê? Que o nosso querido Paulo Bento apanhou doze dias de castigo. Ouviram bem! Doze dias de castigo! Pergunto eu. Isto é normal? Um verdadeiro condutor de homens (todos muito choramingões e lamechas, é certo), que teima em ser reincidente neste tipo de comportamentos, que só diz asneiras (palavrões mesmo, que até eu consigo perceber pelo movimento labial…), que invade o terreno de jogo aos berros de braço levantado e aos berros, chega à entrevista e desata a fazer acusações gravíssimas contra tudo e contra todos, tudo isto para quê? Para levar doze dias de castigo. Parece-me a mim que o crime compensa.

Que apertadinho.

96

Dizer que me vi enfiado num buraco negro, é um pouco demais. Dizer então que vi a morte à frente, é um bocadinho de exagero. Mas que apanhei um susto daqueles, não é exagero. Vinha eu para casa, montado nela (na bela Scarabeo, quem haveria de ser?) e à saída da autoestrada, depois daquela curva toda que tem de se fazer, começo a ver um carro branco a vir em minha direcção, começo a abrandar para ver no que é que ia dar. Não dá em nada e quem lá vinha, vinha convicto. Começo a apitar desesperadamente. Nada. O carro não parava. Comecei então a gesticular desalmadamente e como já estava perigosamente perto, encostei-me todo à berma, até que o carro passa por mim. Era um velhinho que ia a conduzir, completamente desorientado e que só percebeu quando passou por mim, tal foi o chinfrim que eu consegui fazer. Travou, muito aflito, e lá fez marcha atrás… e eu lá continuei o meu caminho, com um calor por este corpinho… a que já não estou habituado…

Momentos de puro prazer.

1206377553UAv4qDI

Hoje fiz uma cena de gaijos. Bem, cena de gaijos é um bocado exagerado. Também foram gaijas e não era exclusivo para gaijos. Fui dar uma volta de scooter. Uma grande volta de scooter. Andei por sítios que nem imaginava existirem. Fomos à aldeia da Pena, que fica no fundo dos fundos da montanha e para lá chegar foi difícil, muito difícil mesmo. Uma aldeia completamente isolada de tudo, toda feita em xisto preto (suponho que o xisto seja todo preto…) muito engraçada e só de imaginar o isolamento daquelas pessoas no Inverno, com aquele caminho cheio de neve… Foi um passeio que meteu almoço, muito bem servido, bem regado e com muita conversa pelo meio. Não só se falou de scooters, falamos de tudo menos de política, o que é engraçado num dia destes… Regressámos por estradinhas apertadas e pelo meio dos montes, cheias de curvas e foi um prazer absoluto conduzir a minha bela Scarabeo. No total foram trezentos quilómetros e fiquei satisfeito para uns meses. Claro que gostaria de ter partilhado esta volta com a minha rica senhora, mas desta vez era impossível esquecer as minhocas e ela fez-me a gentileza de aguentar com elas durante todo o dia (o que não é nada fácil…) para que eu pudesse ter este momento de prazer.

Avizinha-se um belo fim de semana.

15

Ora aqui está o fim de semana. Eu sei que às duas horas da tarde ainda é hora de trabalho para muita boa gentinha, mas para mim, não. É claro que não tenho intenção de vir para aqui meter raiva a quem tem de trabalhar. Eu já trabalhei de manhã, mas este ano tive a felicidade de ficar com a tarde de sexta livre (deu para compensar as disciplinas que me calharam…). Mas não é disso que eu quero falar. É mesmo do fim de semana que começou. Ontem foi um dia complicado. Hoje descomplicou. Porque será? Vá-se lá perceber. Mas não importa, o que importa mesmo é que vou dar umas voltas na bela Scarabeo (comprinhas para fazer…) amanhã vou passar um dia na praia (espero eu que o tempo se mantenha assim…) e no Domingo vou em excursão de scooters dar uma volta por Viseu e arredores (antes de arrancar vou votar), com a minha senhora a ser sacrificada e a ter de aguentar com as duas minhocas insensíveis. Mas eu queria muito dar uma voltinha na bela Scarabeo…

Chegou a vez de lhe dar os parabéns.

jo

Finalmente tive um pouco de descanso, no meio desta turbulência toda que tem sido a minha vida. Momento de sossego para, finalmente, deixar aqui o meu mimo ao meu mano. Ele acabou o curso dele. Design de Comunicação. Está de parabéns. Ao fim  e ao cabo foram anos de algumas dificuldades e contrariedades, mas sempre com muita preserverança. Parabéns outra vez, porque nunca é de mais dizê-lo. Agora seguem-se outros ciclos, igualmente difíceis e complicados, mas estou certo que o caminho está trilhado e ele vai conseguir lá chegar. Boa sorte mano.

Olha se eu tivesse as férias marcadas.

des gens honnêtes.jpg

Falar de outras profissões é sempre arriscado. Principalmente quando não se conhece o seu mecanismo de funcionamento. Falo por mim, que já devo ter dito muito asneirada por puro desconhecimento da realidade, como também me farto de ouvir barbaridades em relação à minha profissão, vindas de quem não sabe minimamente do que está a falar. É assim a vidinha. Todos nós andamos aqui a tentar perceber o que nos rodeia e como nos sentimos rodeados… por isso mesmo e por isso tudo, não posso deixar de me irritar com esta greve dos pilotos da TAP. Eu não vou estar aqui a discutir se eles têm razão ou não (quem quiser que trate do assunto) mas parece-me completamente estapafurdio que a dois de novas eleições este pessoal se meta a fazer greve. Acho uma falta de tudo. Acho mesmo que se trata de oportunismo puro e duro, vinda de uma classe trabalhadora elitista e sempre vista como inacessível pelos comuns dos mortais (pronto, é uma rica vida, com sexo, hoteis e muito mais à mistura, e daí?) mas que deveria ter o bom senso necessário para evitar estas situações… foleiras.

Ai que sufôco.

95

Não diria que me sinto esmagado. Seria forte de mais. Diria antes coertado. Este arranque de ano lectivo está ser difícil. Não estou com cabeça para isto e já dei por mim a equacionar (variadíssimas vezes) mudar de vida. Deixar o ensino e começar outra coisa qualquer. Não digo isto por causa desta mudança que houve no ensino porque, para ser muito sincero, concordo com os princípios que foram estabelecidos e qualquer professor bem intencionado facilmente concordará que era necessário uma valente varridela no sistema. Agora, se a varridela foi para debaixo do tapete ou para os olhos de quem estava a ver, isso é outro assunto que eu não vou abordar. Não é por isso que me apetece mudar de profissão. É mesmo porque já não estou a achar piada. Provavelmente daqui a um mês estarei já com outro ritmo e com outra pedalada que me vai obrigar a engolir tudo o que para aqui estou a escrever. Logo se verá.

Vá, fechem os olhinhos, que a imagem é mais forte do que o habitual.

sim,pois

Eu avisei, não avisei? É bem feito. Deviam ter mesmo fechado os olhinhos e procurado ler o que aqui vai. Mas não. É sempre a mesma história. Qualquer coisita mais fora do normal e as pessoas são impelidadas para o abismo. Por falar em abismo, é assim que me sinto. À beira do abismo e em biquinhos de pés, com os braços robustos a dar a dar. Não consigo qualquer tipo de reação. Com tanta coisa para fazer e sem energia para arrancar. Sem vontade e com uma produção muito baixa. Eu sei que a minha vida tem estado em pantanas, mas isso não deveria funcionar como desculpa, muito pelo contrário. O que me preocupa é que ainda agora cheguei de férias e já estou neste estado…

Uma amiga enviou e não resisti a publicar. Um clássico.

SsJ34LrI7LsIMulher – Onde vais?
Homem – Vou sair um pouco.
Mulher – Vais de carro?
Homem – Sim.
Mulher – Tem gasolina?
Homem – Sim…. coloquei.
Mulher – Vais demorar?
Homem – Não… coisa de uma hora.
Mulher – Vais a algum lugar específico?
Homem – Não… só andar por aí.
Mulher – Não preferes ir a pé?
Homem – Não… vou de carro.
Mulher – Traz-me um gelado!
Homem – Trago… que sabor?
Mulher – Morango.
Homem – Ok… na volta pra casa eu passo na loja e compro.
Mulher – Na volta?
Homem – Sim… senão derrete.
Mulher – Passa lá agora, compra e deixa aqui..
Homem – Não… é melhor não! Na volta… é rápido!
Mulher – Ahhhhh!
Homem – Quando eu voltar eu como um contigo!
Mulher – Mas tu não gostas de morango!
Homem – Eu compro outro… de outro sabor.
Mulher – Assim fica mais caro… traz de ananás!
Homem – Eu também não gosto de ananás.
Mulher – Traz de chocolate… nós os dois gostamos.
Homem – Ok! Beijo… já venho….
Mulher – Ei!
Homem – O que é?
Mulher – Chocolate não… Flocos…
Homem – Não gosto de flocos!
Mulher – Então traz de morango pra mim e do que quiseres pra ti.
Homem – Foi o que eu sugeri desde o princípio!
Mulher – Estás a ser ironico?
Homem – Não, não tou! Vou indo.
Mulher – Vem cá dar-me um beijo de despedida!
Homem – Querida! Eu já venho… depois.
Mulher – Depois não… quero agora!
Homem – Tá bom! (Beijo.)
Mulher – Vais no teu carro ou no meu?
Homem – No meu.
Mulher – Vai com o meu… tem leitor de cd… o teu não!
Homem – Não vou ouvir música… vou espairecer…
Mulher – Tás a precisar?
Homem – Não sei… vou ver quando sair!
Mulher – Não demores!
Homem – É rápido… (Abre a porta de casa.)
Mulher – Ei!
Homem – Que foi agora?
Mulher – Bolas!!! Que bruto! Vai, vai-te embora!
Homem – Calma… estou a tentar sair e não consigo!
Mulher – Por que queres ir sozinho? Vais-te encontrar com alguém?
Homem – O que queres dizer com isso?
Mulher – Nada… não quero dizer nada!
Homem – Que é… achas que te estou a trair?
Mulher – Não… claro que não… mas sabes como é?
Homem – Como é o quê?
Mulher – Homens!
Homem – Generalizando ou falando de mim?
Mulher – Generalizando.
Homem – Então não é meu caso… sabes que eu não faria isso!
Mulher – Tá bem… então vai.
Homem – Vou.
Mulher – Ei!
Homem – Que foi, porra?
Mulher – Leva o telémovel, estúpido!
Homem – Pra quê? Pra ma estares sempre a ligar?
Mulher – Não… caso aconteça algo, tens o telémovel.
Homem – Não… deixa estar…
Mulher – Olha… desculpa pela desconfiança, estou com saudades, só isso!
Homem – Ok, meu amor… Desculpa-me se fui bruto. Amo-te muito!
Mulher – Eu também! Posso cuscar no teu telémovel?
Homem – Pra quê?
Mulher – Sei lá! JOgar um joguinho!
Homem – Queres o meu telémovel pra jogar?
Mulher – É.
Homem – Tens a certeza?
Mulher – Sim.
Homem – Liga o computador… tá cheio de joguinhos!
Mulher – Não sei mexer naquela lata velha!
Homem – Lata velha? Comprei-o o mês passado!
Mulher – Tá..ok… então leva o telémovel senão eu vou cuscar…
Homem – Podes mexer à vontade… não tem lá nada, mesmo…
Mulher – É?
Homem – É.
Mulher – Então onde está?
Homem – O quê?
Mulher – O que deveria estar no telémovel mas não está…
Homem – Como!?
Mulher – Nada! Esquece!
Homem – Tas nervosa?
Mulher – Não… não tou…
Homem – Então eu vou!
Mulher – Ei!
Homem – O que ééééééé? merda!
Mulher – Já não quero o gelado!
Homem – Ah é?
Mulher – É!
Homem – Então eu também já não vou sair!
Mulher – Ah é?
Homem – É.
Mulher – Boa! Vais ficar aqui comigo?
Homem – Não …tou cansado… vou dormir!
Mulher – Preferes dormir a ficar comigo?
Homem – Não… vou dormir, só isso!
Mulher – Estás nervoso?
Homem – Claro, porra!!!
Mulher – Porque é que não vais dar uma volta para espairecer?!?!…Mulher – Onde vais?
Homem – Vou sair um pouco.
Mulher – Vais de carro?
Homem – Sim.
Mulher – Tem gasolina?
Homem – Sim…. coloquei.
Mulher – Vais demorar?
Homem – Não… coisa de uma hora.
Mulher – Vais a algum lugar específico?
Homem – Não… só andar por aí.
Mulher – Não preferes ir a pé?
Homem – Não… vou de carro.
Mulher – Traz-me um gelado!
Homem – Trago… que sabor?
Mulher – Morango.
Homem – Ok… na volta pra casa eu passo na loja e compro.
Mulher – Na volta?
Homem – Sim… senão derrete.
Mulher – Passa lá agora, compra e deixa aqui..
Homem – Não… é melhor não! Na volta… é rápido!
Mulher – Ahhhhh!
Homem – Quando eu voltar eu como um contigo!
Mulher – Mas tu não gostas de morango!
Homem – Eu compro outro… de outro sabor.
Mulher – Assim fica mais caro… traz de ananás!
Homem – Eu também não gosto de ananás.
Mulher – Traz de chocolate… nós os dois gostamos.
Homem – Ok! Beijo… já venho….
Mulher – Ei!
Homem – O que é?
Mulher – Chocolate não… Flocos…
Homem – Não gosto de flocos!
Mulher – Então traz de morango pra mim e do que quiseres pra ti.
Homem – Foi o que eu sugeri desde o princípio!
Mulher – Estás a ser ironico?
Homem – Não, não tou! Vou indo.
Mulher – Vem cá dar-me um beijo de despedida!
Homem – Querida! Eu já venho… depois.
Mulher – Depois não… quero agora!
Homem – Tá bom! (Beijo.)
Mulher – Vais no teu carro ou no meu?
Homem – No meu.
Mulher – Vai com o meu… tem leitor de cd… o teu não!
Homem – Não vou ouvir música… vou espairecer…
Mulher – Tás a precisar?
Homem – Não sei… vou ver quando sair!
Mulher – Não demores!
Homem – É rápido… (Abre a porta de casa.)
Mulher – Ei!
Homem – Que foi agora?
Mulher – Bolas!!! Que bruto! Vai, vai-te embora!
Homem – Calma… estou a tentar sair e não consigo!
Mulher – Por que queres ir sozinho? Vais-te encontrar com alguém?
Homem – O que queres dizer com isso?
Mulher – Nada… não quero dizer nada!
Homem – Que é… achas que te estou a trair?
Mulher – Não… claro que não… mas sabes como é?
Homem – Como é o quê?
Mulher – Homens!
Homem – Generalizando ou falando de mim?
Mulher – Generalizando.
Homem – Então não é meu caso… sabes que eu não faria isso!
Mulher – Tá bem… então vai.
Homem – Vou.
Mulher – Ei!
Homem – Que foi, porra?
Mulher – Leva o telémovel, estúpido!
Homem – Pra quê? Pra ma estares sempre a ligar?
Mulher – Não… caso aconteça algo, tens o telémovel.
Homem – Não… deixa estar…
Mulher – Olha… desculpa pela desconfiança, estou com saudades, só isso!
Homem – Ok, meu amor… Desculpa-me se fui bruto. Amo-te muito!
Mulher – Eu também! Posso cuscar no teu telémovel?
Homem – Pra quê?
Mulher – Sei lá! JOgar um joguinho!
Homem – Queres o meu telémovel pra jogar?
Mulher – É.
Homem – Tens a certeza?
Mulher – Sim.
Homem – Liga o computador… tá cheio de joguinhos!
Mulher – Não sei mexer naquela lata velha!
Homem – Lata velha? Comprei-o o mês passado!
Mulher – Tá..ok… então leva o telémovel senão eu vou cuscar…
Homem – Podes mexer à vontade… não tem lá nada, mesmo…
Mulher – É?
Homem – É.
Mulher – Então onde está?
Homem – O quê?
Mulher – O que deveria estar no telémovel mas não está…
Homem – Como!?
Mulher – Nada! Esquece!
Homem – Tas nervosa?
Mulher – Não… não tou…
Homem – Então eu vou!
Mulher – Ei!
Homem – O que ééééééé? merda!
Mulher – Já não quero o gelado!
Homem – Ah é?
Mulher – É!
Homem – Então eu também já não vou sair!
Mulher – Ah é?
Homem – É.
Mulher – Boa! Vais ficar aqui comigo?
Homem – Não …tou cansado… vou dormir!
Mulher – Preferes dormir a ficar comigo?
Homem – Não… vou dormir, só isso!
Mulher – Estás nervoso?
Homem – Claro, porra!!!
Mulher – Porque é que não vais dar uma volta para espairecer?!?!…

Assim é que era.

Ape_Calessino

Pois bem, pelo meio das planificações, matrizes, grelhas e outras coisas mais, lembrei-me de uma excelente opção de transporte para ir levar as minhocas à escolinha. Acho mesmo que elas iam adorar chegar à escola numa carripana destas. Então os coleguinhas é que se iam roer todos para eu os deixar dar uma voltinha, o que, pensando bem, me ia dar uma trabalheira dos diabos… Mas que seria um sucesso, lá isso…

Ficava a matar.

4905524562767

Eu sei, é corderosinha. Pode ser facilmante ser confundido com as camisolas do slb. Mas tirando esse pequeno pormenor, acho-o um mimo. Vi-o na fnac há já uns tempos e fiquei a olhar para ele com ternura, para não dizer, com vontade de o comprar. Achei que era muito dinheiro, para me tentar convencer que não iria precisar dele. Andei este tempo todo a enganar-me e para quê? Para chegar à brilhante conclusão de que vou mesmo precisar dele. Pode-se sempre argumentar que é um Sony, que é mais caro e coisa e tal, mas ele é lindo e não vou nada ficar incomodado por ficar com um ar abichanado por causa dele…

Eu digo que preciso dele, porque cada vez mais trabalho no pc de casa e depois não posso levar nada para fazer na escola e, conforme está a minha escola (as obras não dão sossego…) não me adianta andar com uma pen para enfiar numa qualquer entrada usb… simplesmente porque não as encontro… Os computadores estão todos por montar e não vai ser tão cedo que vão ficar operacionais.

Como estas coisas não se encontram nas árvores, vou ter de esperar pelo dito cujo, que vem junto ao Natal (sim é triste, o Natal é consumismo…) para ver se o consigo comprar. Até lá vou olhando para ele, vou-lhe passando a mão e vou suspirando por melhores dias.

Peugeot BB1.

03

Não consigo deixar de gostar dele. Saiu hoje a campanha de lançamento e acho o máximo. É o novo carrinho de brincar da Peugeot e promete dar cartas entre a malta nova, que não é o meu caso (eu sei e não é preciso lembrar!), que pode ver nele um instrumento de deslocação, gadget e misto de tecnologia, sem ser para armar às velocidades. Nestes tempos em que cada vez mais as pessoas se começam a preocupar com a sinistralidade nas estradas, talvez venha mesmo a calhar. Pode ser visto aqui.