Post de quem não tem nada que fazer, à tarde e com sol lá fora.

viagra

Quando me ponho a pensar na vida, dá sempre para patinar. Não artisticamente mas antes para me esticar ao comprido. Por isso, mais vale não pensar nela e deixar correr. Não em sprint mas antes tranquilamente, saltando por cima dos obstáculos que vão surgindo e aguentando com o peso da idade. Sim, porque se trata de idade. Quanta mais vamos tendo, menos capazes nos vamos tornando. Que se há-de fazer? É a lei natural da vida. O que é uma chatice. E não me venham cá dizer que a experiência e tal, o savoir faire e tal… tretas. Tudo tretas. É por isso que, quando chegar a minha vez… vai ser um consolinho químico. Como se estivesse a voltar às experiências químicas da juventude… só que agora num outro patamar.

Deixar uma resposta