Arquivo mensal: Novembro 2010

Eles são muito diferentes.

O nosso amigo veio fazer uma visitinha Santiago. Mais do mesmo. Começou logo por criticar os espanhóis quando ainda estava no avião que o trouxe. Tem azar com nuestros hermanos que começaram logo por criticar os custos que a sua visita acarreta para o país, que está apenas um pouco melhor do que o nosso. A maior parte da juventude espanhola não quer saber da igreja católica para nada e tem mais que fazer do que estar a perder tempo com o representante de uma instituição que parou no tempo, para não dizer outra coisa. Uma curiosidade: apareceram uns cartazes muito engraçados (mas que são sintomáticos) e que estavam espalhados por Santiago, a dizerem o seguinte (ou mais ou menos isso): Vem aí o papa, escondam as criancinhas. Um mimo.

Já agora, a fotografia é deste senhor.

Pode ser que me passe.

Volta e meia lembro-me dela. Sonho até com ela. Fico todo revirado só de pensar nela. Se não tivesse a que tenho, seria com ela que eu queria passar as minhas tardes. Se calhar estou a ser mal interpretado. Ela é uma paixão antiga de três rodas. Agora saiu uma nova cor para ela, que ainda me deixa mais transtornado, e veio tudo ao de cima. Suspiro. Novo suspiro. E suspirone.

Acabadinho de chegar de Chaves.

Eis-me regressado de um longo fim de semana. Depois do jantar de sexta e da monstruosa ressaca que me impediu de levar as minhocas à piscina, logo no sábado pela fresquinha, lá me consegui levantar da cama, meter toda a tralha no carro e seguimos todos em direcção a Chaves. Como era a Feira dos Santos, lá tive de me arrastar pelo meio daquela confusão, que só quem conhece consegue perceber o que estou a tentar explicar. Depois lá me estiquei na cama e descansei, finalmente, durante duas horitas. Fiquei como novo e preparado para ir ao Casino de Chaves jantar, e desta vez fomos com as minhocas. Sim as minhocas já podem entrar na sala de jantar do Casino e viram o espectáculo (que desta vez foi uma peça de teatro alusiva à data). Portaram-se muito bem, não houve fitas e gostaram muito. Tive pena que o espectáculo não fosse o tradicional, com dança, música, canto e com muitas luzinhas, mas assistiram à peça de teatro com interesse.

Este foi o primeiro dia e nos dois seguintes, já reforçados na boa companhia, foi o descalabro total e acho que os doze quilos que tinha emagrecido desde Maio já cá moram novamente. Hoje comecei o dia a comer cinco empadas de carne (maravilhosas) e a beber dois copos de vinho tinto, isto pelas nove e meia da manhã… Enfim, foi um fim de semana de boa conversa, boa comida, bom vinho, com carroceis pelo meio, muita feira à mistura e só foi pena ter estado aquele vento todo.

Ahh, e no Domingo acordei com a notícia de que o fêcêpê tinha ganho o jogo da véspera, foi um bom pronuncio.