No final do segundo dia de férias…

Cáustico. Cáustico é o meu nome do meio. Está lá. Faz parte do nome completo, mas tem uma relevância… diminuta. Em Portugal é sinónimo do nome da mãe. E eu sou português. Mas apesar de tudo sinto que tenho o lado cáustico bem desenvolvido. Saio, portanto, à minha mãe, se me apraz dizer. Mas também tenho outros nomes. Os do pai. Que me fazem ser equilibrado e de bom discurso. Bem falante, portanto.  Mas o cáustico está lá. Sou eu. Não pareço, pois não? Quem acha que me conhece… não me conhece. Ehehehehehe é o riso ridículo que consigo escrever… Cresci com o conhecimento dos meus limites e gosto de andar sempre por lá perto. Gosto de viver intensamente, muito intensamente. Não gosto de ter a cabeça parada. Não gosto. Por uma boa causa sou capaz de tudo. Claro que o conceito de boa causa é muito pessoal, que é para não entrar em muito detalhes e, acreditem, eu sou um gajo de detalhes… embora não pareça… eu sei… é a uma constante da minha vida… sou o gajo que não parece. Não parecer e ser cáustico é, no mínimo, fixe. Também pode ser considerado meio palerma, mas isso é outra história. Eu contento-me com o ser fixe.

Deixar uma resposta