Gostava de ter um título para início de ano… mas não tenho!

moi em arco de baulhe

Se aqui há uns dias não sabia o que dizer sobre o ano que passou… hoje não sei o que dizer sobre o ano que vem aí. Tenho aquela desculpa… indesculpável de que o ano já começou há quatro dias… e, por isso mesmo, já ninguém liga aos desejos das pessoas. Aos desejos que as pessoas sonham em conseguir alcançar no ano que começa… Muito francamente, eu acho que não precisava de uma desculpa. Eu não acredito em nada disso, em desejos… quer dizer, todos nós temos desejos e isso é bom. O que me custa a crer é que os desejos só se realizam se os formularmos numa data específica… mais propriamente na passagem do ano… E eu digo isto com a maior das convicções, apesar de termos todos subido para uma cadeira com uma nota na mão enquanto soavam as doze badaladas… às vezes, mas só às vezes, gostamos de acreditar naquilo que nos dá mais… jeitinho…

É por estas e por outras que não sei muito bem como começar o ano. Uma coisa eu sei. Uma não, duas. A primeira é que desejava muito que a minha bela Scarabeo voltasse a andar e me levasse por essas estradas fora… e a segunda é que desejava muito, mas mesmo muito, que não começassem as aulas na próxima segunda feira…

E assim, de repente, não me estou a lembrar de mais nada.

E este senhor que está na fotografia… sou eu. O ano começa com outro tipo de fotografias… mas só desta vez…

Deixar uma resposta