Estas coisas nunca são boas para o equilíbrio familiar. Por isso, façam o favor de não ler! Obrigado.

IMG_7929

Chegar a esta altura da vida e perceber que existe, em mim, um grave problema de comunicação não é fácil. Não é nada fácil. Eu não gostava nada de ter um problema de comunicação. Comunicar é o que de melhor podemos conseguir. Tinha logo de vir calhar a mim, o problema da comunicação. Não é justo. Não é nada justo. Sou um ser humano que gosta de comunicar… isso já se percebeu… mas devo ter uma forma muito diferente de comunicar com os demais seres humanos pois ninguém me entende. Ninguém consegue perceber onde eu quero chegar.

É triste ser assim.

Ou não é?

É!

Claro que é!

Está por aí alguém que ache o contrário? Também pergunto: está por aí alguém que tenha problemas de comunicação? Não, pois não? Claro.

Tinha de me calhar a mim! Este problema!

Faço uma pausa. Uma pausa para ouvir isto. Demasiado relaxante, quase zen… não resulta. A sensação mantém-se. A sensação de perfeito incapaz de comunicar como deve ser!

A pausa mantém-se mas a ouvir isto. Nem me atrevo a achar que fico mais animado…

E agora isto. É um ritmo que eu consigo dançar. Digamos que é próprio para senhores da minha idade…

Mas a preocupação mantém-se. A música ajuda a não querer pensar na vida. Mas ela está lá. Acordamos todos os dias, tomamos banho todos os dias, o pequeno almoço é uma refeição diária,  levamos as crianças à escola diariamente, vamos trabalhar todos os dias, regressamos a casa ao fim da tarde, e o jantar? Ah! O jantar tem que ser feito porque toda a gente chega com fome. E o que se faz durante o jantar? Bem, para além de comermos… também falamos. Ou há por aqui alguém que não fale durante o jantar? O jantar é a refeição mais importante numa casa de família. Numa verdadeira casa de família… para quem não vive sozinho. É o final do dia. E o dia, em princípio, foi preenchido com alguma coisa de interessante, digo eu. As crianças falam da escola e dos seus problemas, problemazinhos… para um adulto como eu…. Mas ouço. Os problemas das crianças devem ser, sempre, ouvidos. E eu ouço, pelo menos quando não são atirados cá para fora, aos berros. As crianças são o que de melhor nós temos (vem nos manuais) e devemos valorizar as ditas cujas.

E tudo continua. A refeição. O vinho que acompanha a refeição é servido. E a conversa continua.. Os adultos conversam. Também conversam com as crianças. Aliás, os adultos conversam com quem estiver à mão. À mão de semear. Faz parte da forma de estar dos adultos… falar com quem está à mão de semear. Apesar de adultos, somos todos iguais. Todos… é uma forma de generalizar… Eu vou sempre achar que não faço parte… Que sou diferente. Que se vai fazer? Nasci e cresci noutros tempos. Tenho lá eu culpa? Não tenho! A única culpa que eu tenho… é outra. A culpa que me levou ao início. O problema da comunicação. Estão lembrados…

Eu não consigo comunicar como os demais. Foi assim que tudo começou.

2 thoughts on “Estas coisas nunca são boas para o equilíbrio familiar. Por isso, façam o favor de não ler! Obrigado.

  1. admin Autor do artigo

    Obrigado Paula, és uma simpática que me gostas de mimar 🙂 Beijinhos 🙂

Deixar uma resposta