Arquivo mensal: Maio 2015

Tenho esperança!

bitmap Não tenho tido grandes momentos de reflexão. O que é uma pena porque sinto necessidade de ordenar as minhas ideias. Mas tem sido assim a minha vida nestes últimos três meses. Por diversas razões.

Este blogue tem sido testemunha da minha incapacidade em escrever decentemente sobre o que quer que seja. Nos últimos tempos apenas escrevo palermices. Quer dizer, eu sempre escrevi palermices… mas faziam algum sentido na sua leitura. Quero eu dizer que se percebia o que ia escrevendo. Tal não tem sucedido nestes tempos recentes.

É a vidinha. Todos nós temos momentos desses nas nossas vidas, ou não?

Eu vou tendo. É sinal de que também vou andando por cá…

Pode ser que a coisa melhore um pouco!

E é isto…

1618-990x660

Continuo à procura de tanta coisa.

Sossego?

Seria bom!

Silêncio?

Excelente!

Conseguir pensar durante dois minutos sem ser verdadeiramente interrompido?

Nem em sonhos!

Não ter de berrar?

Como se fosse possível!

E?

E?

E eu com tanta coisa para fazer…

E não faço o que quero…

 

 

Ficou para trás.

PixMix629-015

Começo por ouvir isto. Depois vejo isto. E a seguir isto e aquilo.

Mas afinal ando a ver o quê?

Tudo tão variado. É verdade. Sou moçoilo com costumes e manias de toda a espécie.

Consigo achar piada a isto e aquilo, tudo ao mesmo tempo.

Mas também tenho a minha vida. Que não cabe em filmes publicados. E que eu adoro.

E que vou poder viver.

De uma forma ou outra.

 

Com as mãos nos bolsos.

lindinho

Há pouco fui ter com o meu espelho. Sempre olhei para ele. Nunca achei piada. Nunca gostei do que vi. E eu não me deixo guiar pelas aparências. Essas, são outras andanças.

Mas voltando às aparências. Nunca gostei do que fui vendo. Ao longo dos anos. Longos.

Hoje foi pior. Olhei. Vi uma máscara cerrada.

Este sou eu?

Meu deus. Estou a ouvir Barry White e estou com uma cara cerrada???

Sim.

Três.

Pontos de interrogação!

Mais um de exclamação…

Meu deus, estou perdido.

Barry White não merece isto.

Eu também não.

Ninguém merece isto.

A vida são dois dias!