Arquivo mensal: Junho 2015

Okupa e resiste, versão saudade!

1029-990x660

Com estes castigos todos que me foram infligidos… dou por mim com um desejo, um desejo muito grande. Gostava de voltar a viver no Porto, na cidade do Porto. Ao fim destes anos todos fora, gostava de voltar para onde nunca deveria ter saído. Há uns anitos atrás, antes de virmos viver para o sítio onde nos encontramos actualmente, fizemos uma busca desesperada por uma casa, onde pudessemos assentar arraiais… mas a coisa tornou-se inviável… devido aos preços proibitivos. Se tivessemos esperado mais um tempo, procurado com mais calma, estou convencido que encontraríamos uma casita para restaurar, de acordo com as nossas possibilidades…

Não aconteceu e agora, passados estes anos todos, deu-me para a saudade. Saudade de viver numa cidade que está a dez quilómetros de distância do sítio onde vivo… Quer dizer, é um bocadinho palerma sentir saudades de viver numa cidade que está mesmo aqui ao lado. Lá isso é. Basta apanhar o metro e quatro ou cinco estações depois… estou na baixa… Mas, lá está, não é assim nada de estranho porque eu sou mesmo palerma… por isso…

Já a minha rica senhora é de opinião diversa e radical. Está farta de pagar um dos “IMIS” mais elevados do país, uma das taxas do “lixo” mais elevadas, a água caríssima e, imagine-se, um município cercado por SCUTS!!! De bom, temos acessos radicais, cheios de lombas e buracos, que nos permitem treinar a condução. Praticar desporto… só se for mentalmente… Enfim, vivemos no fim do mundo e, se não fossem as pessoas que fomos conhecendo, seria uma perfeita infelicidade viver aqui. Mas voltando à minha rica senhora, diz ela que deveríamos ir para uma terra estrangeira, longe deste Portugal.

Que não, digo-lhe eu, que já não tenho a energia necessária para me mudar de armas e bagagens para um qualquer país que não tem nada a ver comigo. Se ainda tivesse sido há vinte anos atrás… nem seria novidade para mim pois já andei lá por fora a trabalhar e não me faz confusão nenhuma ter de mudar a minha vida. Quer dizer, não fazia! É que me ponho a pensar e logo percebo que a idade está a avançar… eu achava que não… mas parece-me que é mesmo verdade… daí até me convencer que devo aproveitar o que de melhor a vida nos vai trazendo é um passinho muito pequeno. E aqui chegado, tenho obrigatoriamente de pensar no dinheiro, guito, pilim. Será o carcanhol o objectivo máximo a atingir nas nossas vidas? Há quem pense que sim. Eu penso assim assim… E não, não estou a desenvolver um espírito de judeu… apenas estou cansado das dificuldades e dos sonhos perdidos.

A minha rica senhora é mais radical e acha que devemos partir se “a corja que nos governa ganhar as próximas eleições”, dixit. Eu começo a fazer contas à minha vida porque tenho a sensação de que vai sobrar para mim…

Passo a explicar.

Estes tipos que nos governam são bons nas lides politiqueiras. São bons nas lides parlamentares. São bons no marketing político. Eu até acho que os episódios caricatos que foram acontecendo ao longo do mandato foram propositados… tiveram o sentido de criar uma imagem de alguma inexperiência mas com muita vontade de fazer o melhor pelo país… Agora estamos a assistir ao TAKE2, em que são apresentados os resultados que lhes são mais convenientes e tudo o que de mau foi feito é, pura e simplesmente, esquecido. Vem nos manuais. Não estou a inventar nada. Eles são bons nisto. Já o tinham demonstrado quando tomaram o poder de assalto, a cantar e a rir…

Também já percebemos que o povo tem uma atracção fatal pelo abismo. Já não bastava termos um presidente da República inculto e, praticamente, um ignorante funcional como ainda tivemos de gramar com um autêntico cardume de boys, cheios de brilho mas pouco tino. E eles vão continuar por cá, a amassar o pão que alguém há-de comer.

Perante toda esta conjunctura, está-se mesmo a ver que vai sobrar para mim…

Como é que eu vou conseguir resolver o problema com a minha rica senhora? Como é que eu vou conseguir viver com a minha rica senhora descontente lá em casa? A querer ir para um país estrangeiro? Assim, de repente, surgida do nada, pode aparecer a oportunidade e a casa fica mais vazia. Não vai ser fácil.

Mas também não me adianta nada perder tempo a tentar perceber quais serão as realidades futuras… Não há muito que possa fazer. Até podia tentar mobilizar todas as pessoas que eu conheço para não votarem nestas abéculas… mas dá-me a impressão que me iam dizer para ter juízo… por, a ver vamos…

E isto tudo porque me deu para ter saudades! Mais valia estar caladinho!

Quem sabe se a mudança não se ficará apenas por voltar à bela cidade?!

O FMI diz, sem se rir, que o ajustamento falhou

O Fundo Monetário Internacional está contra o dr. Passos Coelho, o dr. Vítor Gaspar e a dra. Maria Luís Albuquerque. Agora vem dizer que o programa de ajustamento português falhou. Não se faz. Depois de três anos de tanta dedicação à troika por parte do Governo, esta ingratidão por parte dos técnicos do Fundo até dói. Explico-me, até porque o FMI não diz isto assim da boca para fora e preto no branco. Dá umas

Fonte: O FMI diz, sem se rir, que o ajustamento falhou

Okupa e resiste! Se quiserem partilhar…

Esta cena de ter sido bloqueado na rede social da moda deu cá um jeitaço que o comum dos mortais não consegue sequer imaginar. Estou quase há duas semanas sem poder (com pê) manifestar um carinho… para com os meus amigos. Nem um bom dia ou um gunaite. Nada disso me é permitido. tive de me habituar à ideia, até porque não sei por quanto tempo mais irei continuar bloqueado ou de castigo, para ser mais rigoroso. Tem sido um processo à maneira deles.

Primeiro enviaram-me uma mensagem a informar que alguém me tinha denunciado por ter publicado uma fotografia menos própria. E logo eu, que faço questão de só publicar fotografias próprias para consumo. Mas pronto, algum dos meus amigos/as não achou lá muito bem que no meu mural aparecessem fotografias que eu escolhi para lá estarem. A pessoa lá deve ter as suas razões…

De seguida enviaram-me uma outra comunicação em que me diziam que eu tinha de provar que era mesmo eu o titular da minha conta… e que para tal teria de enviar uma fotografia apropriada… de um documento oficial. Diziam eles que podia ser a da carta de condução… tive pena que a fotografia da carta de condução fosse apenas do rosto… pois não dava muitas alternativas…

E a vida lá continuou. Como tinha muito trabalho de avaliação na escola, fui deixando passar a oportunidade porque realmente tinha assuntos importantes com que me preocupar. Basicamente, deu-me o tempo necessário para eu me concentrar no trabalho sem me distrair com as publicações do costume… mas lá acabei por tirar uma fotografia do bendito rosto que aparece na oficial carta de condução e lá fiz o procedimento de envio que me indicaram.

Passaram dois dias e lá deram notícias. Que sim, que aquele rosto que aparecia na carta de condução era mesmo eu. Confesso que fiquei aliviado, muito aliviado mesmo, pois não fosse o diabo tecê-las e aquele não ser eu.

Daí para cá, continuo de castigo. Não me deixam botar… um like numa qualquer campanha em defesa da existência dos piolhos ou mesmo partilhar uma página de insultos aos nossos queridos seres humanos que nos governam. Nada. Nada disso me é permitido. É uma verdadeira injustiça aquilo que me estão a fazer…

Tenho tantas coisas boas para partilhar com todos vós que até me doi a alma quando penso nisso… e quando digo isto, estou a pensar particularmente no bem aventurado do meu amigo/a que me denunciou… Só de pensar nele/a lembro-me da enorme quantidade de material interessante que consegui reunir e que está enfiado num canto. Uma pena! Mas, pensando melhor, se o amigo/a desejar ter um acesso personalizado e exclusivo, para ser usufruído no recanto do lar, sem interferências e à luz da vela, que não seja por isso: uma simples mensagem particular e, na demora de um click, todo o material que eu tenho disponível chegará em perfeitas condições…

É caso para se dizer: Quem é amigo, quem é?

Setediassete…

Não há nada como ser denunciado na rede social da moda, dita para velhotes pelos mais novos. Pensando bem, a dita cuja é mesmo para velhotes pois os mais novos não se dão ao trabalho de denunciar fotografias menos próprias… só mesmo velhotes sem mais nada para fazer. Mas é assim a vida e o que interessa é que fui mesmo castigado… durante setediassete… e tive de responder a uma data de tretas para avaliarem se mereço continuar na rede social da moda deles…

De qualquer maneira vou ficar no limbo… sem poder ver nem ser visto… pode ser que me habitue e deixe, de uma vez por todas a rede social da moda para velhotes… sempre posso mudar de paradigma e passar a escrever mais por estas bandas, quem sabe?