O segundo dos três efes…

Dizia-me a minha senhora ontem à noite: este fim de semana vamos estar mais perto do tempo da outra senhora. Da outra senhora? Perguntei eu. Sim, das apregoadelas  do antigamente. E quais eram as apregoadelas? Perguntei eu, que não estava a perceber onde ela queria chegar… Então, Fátima; Fado; Futebol. Sim, isso eu sei, respondi eu, mas onde é que isso encaixa neste momento específico? Só estou a ver Fátima… porque é demasiado evidente e nos está a entrar pelos olhos dentro… e já não tenho paciência para voltar ao assunto…

Então meu querido? Não estás a ver que este sábado também vais ter o Festival da Eurovisão? Não é bem fado mas é a “música” como factor de alienação. És um tontito… Já não te lembras de assistir ao Festival da canção naquelas televisões a preto e branco…? Pois tens razão, meu amor. Só que naquele tempo as canções tinham mais qualidade. Ainda me lembro de algumas… mas olha, desde que acabou o tempo da outra senhora até aos dias de hoje, não me lembro de nenhuma. Espera, lembro-me de uma que dizia que o balão subia… Mais nada!

Mas também tenho que ser sincero. A minha vida levou outros caminhos. Enveredou por outros sheiks e foram raras as vezes que perdi tempo com Festivais da Eurovisão… por isso não sei muito bem se, pelo meio, apareceu alguma canção jeitosa… se calhar apareceu… E este ano temos uma canção que anda nas bocas do mundo português e, pelos vistos, pelas estrangeiras também… Tive que ver a eliminatória pois estavam todos a ver lá em casa. Não me custou nada ver, pelo contrário, recuei até à minha meninice… Mas ouvi e vi aquilo com todo o meu empenhamento possível. E fiquei de boca aberta. Como foi possível?  Eu não me revejo minimamente naquilo… mas, vendo bem, também não tenho nada que me rever naquilo… Cada um gosta do que quer e a mais não é obrigado. Eu não gostei de nada. Quer dizer, se o Festival fosse transmitido pela RÁDIO eu poderia concordar com a maioria do povo português que afirma que a canção é muito bonita e o intérprete desempenha muito bem o seu papel, isto é, cantou bem. Mas infelizmente não vai ser transmitido pela RÁDIO e parece-me que vamos ter de ver o espectáculo. Apraz-me confessar que não sou um ser humano preconceituoso, que não faço juízos de valor só pelo aspecto ou pelas palermices que saem da nossa boca em momentos de maior tensão. Mas também sei que, para este tipo de concursos existe um determinado tipo de enquadramento, com expectativas e formas de funcionamento. Acho que o nosso portuguesinho quis quebrar com tudo isso, está no seu pleno direito mas eu tenho que confessar que não achei nada disso aconteceu. Aquilo que apercebi foi uma postura muito forçada e sem piada. Eu até gosto de freak show mas este nosso representante nem é uma coisa nem outra. Consegue parecer mal amanhado, como se diz na minha terra, e muito polido ao mesmo tempo. Nem consigo encontrar palavras para descrever um personagem que se propôs a representar o seu país num concurso muito específico… Mas parece que vai ganhar! Oxalá ganhe pois é esse o maior desejo do povo português! Para mim é indiferente!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *