Arquivo da Categoria: Maldita tecnologia

O blogue já aceita comentários.

Enquanto estava a passar uma história para o computador, história essa que foi escrita há uns tempos pela minha rica senhora, estava a magicar no raio dos comentários do blogue, que não eram possíveis de registar. Deu-se-me uma iluminação varilux e vi tudo tão nítido. Só tinha de desinstalar um plugin meio palerma que andava para ali a dar confusão. Tanto andei que consegui. Agora já podem deixar recados na caixa de comentários porque eu vou lê-los. Não é uma caixa de comentários bonitinha. É simples, mas honesta… e cumpre com as suas funções…

Por isso façam o favor de dizerem alguma coisa, que a gerência agradece. Para comemorar… deixo-vos com uma musiquinha do meu agrado…

Tem a sua piada…

As tecnologias são o que são. Eu não me dou lá muito bem com máquinas. Também não me dou lá muito bem com pessoas, mas isso é outra conversa. Depois de ontem ter terminado com a minha conta da rede social da moda, achava eu que me podia virar para o meu blogue. Pura ilusão. O raio do blogue esteve durante quase toda a tarde inacessível por causa de um plugin… O raio do plugin foi uma tentativa… da minha parte… para resolver outro problema do blogue pois não está a aceitar comentários! Tanta coisa com a cena dos comentários que os amigos poderiam deixar aqui no blogue e agora… nada! Não é possível deixar um comentáriozito, sequer. O outro blogue, dizem os técnicos da empresa onde está alojado que tem um vírus… Começo a ficar cansado do raio da tecnologia. O outro blogue das motas… nem quero ir ver… porque já não tenho cabeça para lá escrever, mas deve ser o único que deve estar a funcionar a cem por cento… é da Google e não se paga… já os outros… pago e não funcionam sempre…

Vamos ver como param as modas… Pelo sim pelo não já fiz uma cópia com tudo aquilo que publiquei. Gostava de mandar tudo às urtigas (a cena das urtigas é recorrente) e organizar as minhas sagradas escrituras, que já por cá andam desde Fevereiro de dois mil e sete, pelo menos de forma organizada.

E o blogue voltou a florir…

Esta cena da internet é mesmo uma cenaça do caraças. Estive com o blogue em baixo durante um dia e o nervoso miudinho aumentou exponencialmente. Não é que tivesse algo extraordinário para vir aqui escrever mas gosto sempre de saber que se me apetecer… é só abrir o painel de administrador e… zás, meia dúzia de bacoradas e o stress vai-se à vida, à vidinha dele, portanto. E pronto, era mesmo só para avisar que já está tudo normal, pelo menos para já…

O blogue já não tem malware…

E pronto. Tenho o blogue limpinho e arrumadinho, que nem um brinquinho. Tudo terminado em inho. Mas não fui eu a conseguir tal proeza. Como tem sido mais do que evidente, eu não possuo capacidades técnicas para descobrir certas coisas… Fui abençoado pela presença do meu amigo Sérgio, que perdeu uns minutinhos do seu tempo e záz, pôs tudo em ordem. São as tais benesses pascais…

Há gajos que deviam ter mais juízo.

Estou cansado de muita coisa. Uma delas tem que ver com o facto de eu não perceber nada de tecnologia, de programação e do diabo a quatro. Estou farto de que me ataquem o blogue, que entrem no servidor e a partir daí distribuam malware a quem visita a merda do blogue. Não percebo porque raio de carga de água passam a vida a fazer isto se eu não perturbo ninguém nem tão pouco mexo com qualquer tipo de interesses ideológicos e muito menos financeiros. Chateia-me esta gentinha que não tem mais nada que fazer. Quer dizer, esta é a vida deles. Eles entram nos blogues para lucrarem com qualquer coisa. No meu caso não sei lá muito bem em que é que vão lucrar, mas enfim…

Para além de me cansar com pessoas destas, consigo ficar ainda mais cansado com a minha ignorância em lidar com os aspectos técnicos que são necessários  resolver o assunto. Aqui e ali, lá vou tentando perceber o que devo fazer mas é uma tarefa demorada e difícil. Tenho pena que assim seja pois mais cedo ou mais tarde vou acabar por me cansar desta treta toda e acabo com o blogue por exaustão.

Torrent. O princípio do fim.

Ao fim destes anos todos a saber da sua existência, nunca me deu para experimentar a sério esta modalidade… estou a ficar maravilhado com as coisas que vou conseguindo encontrar. Na música, e sem querer ser saudosista, vou para os lados dos oitentas, que marcou os meus vinte anos, e vou também para a segunda metade dos noventas, que marcaram os meus trinta anos. Pelo meio faço umas verdadeiras incursões no mundo pornôôô sem saber muito bem como lá vou parar. Sim, estou a ser verdadeiro. É que hoje, quando ia ver um filme que tinha como título Roma, julgando eu que seria um filme sobre os romanos, nas suas belas togas, sai-me uma pornochanchada hard core… digamos que não era bem aquilo que eu estava à espera…

Post de transição, porque a vida continua.

Continuo sem conseguir recuperar os posts desaparecidos. É uma pena. Sinto-me como se estivesse sem uma parte de mim. Seis meses de posts dá mais ou menos um braço. Estou, portanto, maneta. Mas há vida para lá do desconsolo de me sentir maneta. Vou ter de reaprender a viver sem uma parte de mim. Para começar bem, logo pela manhãzinha, carreguei com quinhentos quilos de lajes do carro para o jardim, o que não foi pêra doce. Ainda vou ter umas jornadas valentes a metê-las no sítio e para o conseguir vou precisar mesmo dos dois bracinhos por isso já me passou o desconsolo. Mais logo venho cá contar como foi o meu fim de semana (ai, que isto mais parece uma telenovela mexicana… por capítulos…) para depois me sentir mais rotinado no blogue.

Há quase uma semana. Grrrrrrrrrrrr.

Isto tem sido um desconsolo. Tenho estado às voltas com a asneirada que (mais uma vez…) fiz nas tralhas do blogue. Quem me manda a mim mexer no que está quieto. É bem verdade que quando não se sabe da poda, não se deve podar. O que aconteceu foi que me pus a limpar uns backups e acho que limpei de mais. É a mania das limpezas, é o que é. Agora faltam-me seis meses de publicações e estou chateado. E eu não gosto de andar chateado. O que me vale é que ainda tenho uns amigos que me vão resolvendo os sarilhos em que me meto… só que desta vez não sei se vai dar para resolver tudo. Aliás, estou a escrever este texto e não sei se vou conseguir publicá-lo. A ver vamos. Mas que me deixou desconsolado… lá isso deixou

Podia-me dar para a sexualidade…

29sep09_samsungw880eng

De volta ao trabalho e em que é que eu penso? História da Arte? Área de Expressões? Naaah. Em telemóveis. Eu sei que não é normal, mas também eu sou um fraco e, por vezes, não resisto à febre do consumo. Consumo é uma expressão um pouco forte de mais porque eu não vou comprar nada. O dito telemóvel ainda vai sair e depois, bem, depois deve ser caríssimo, por isso, e aproveitando a chuva que cai lá fora, tiro o cavalinho da dita cuja. Mas não consigo deixar de gostar dele. É uma mistura de telemóvel com máquina fotográfica, com a agravante de ter lá tudo o que de bom têm as duas. Um mimo.

Com calma, a coisa vai.

20

Confesso que tenho andado um pouco expectante e, por conseguinte, sem muita cabeça para vir aqui escrever o que se passa. Tenho um projecto a desenvolver, em parceria com um colega de trabalho. Tem uma grande componente de domínio informático e está-se mesmo a ver porque é que estou expectante… é mesmo por não dar conta do recado e pelo facto dos meus conhecimentos serem muito reduzidos. Tudo o que tenha que ver com base de dados, instruções no teclado e afins, decididamente, não é para mim. Gostava de saber, mas já vou tarde. Agora só dá mesmo para explorar determinados programas e será isso que irei fazer quando os meus colegas conseguirem instalar o estaminé todo. Até lá, tenho de gerir a minha vontade de começar a trabalhar.

Quando as coisas estiverem mais encarreiradas, eu venho aqui dizer qualquer coisa.

Que nervos.

razinha

Podia estar bem disposto. Podia mas não estou. Afinal de contas estou de fim de semana, o trabalho mais chato já foi despachado e tenho tudo a meu favor para estar bem disposto. Mas não estou. Não estou porque sou torrão. Torrão nas coisas que quero, a toda a força conseguir realizar. Não, não ando mal com a minha vida, não é nada disso… é mais um problemazinho com a instalação de um servidor, base de dados e aplicação específica. Não gosto de não conseguir fazer as coisas direitinhas. Não nasci para a informática, da parte do teclado… e fico roído quando não consigo trabalhar com as ferramentas que quero. Pior ainda fico quando me explicam tudo e, quando chego a casa ou me esqueço ou me aparece um outro problema diferente. Grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr. Isto tudo porque quero começar a trabalhar, à viva força, num projecto de portefólios electrónicos que achei muito interessante e que vou desenvolver com o meu colega JCRamboia, que já tem a parte da instalação feita, pois claro, e eu não. Grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr. Vou ter de esperar todo o fim de semana para recomeçar na segunda. Grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr.

Vamos lá ver como a coisa corre.

07

Finalmente já tenho instalada uma rede wireless… parece uma coisa muito espectacular… mas na verdade, para mim, é. Isto porque já tive uma vez um modem wireless mas não consegui vedar aquilo aos mais curiosos e tinha sempre pessoal nas curvas, à minha custa. Com esta coisa que me instalaram cá em casa posso ficar sossegado pois dizem que tem uma chave encriptada e que só mesmo os mais artistolas é que conseguem decifrar as tais chaves. Como os tipos que cá vieram instalar o modem também eram uns ricos artistolas… fico à espera do que vai suceder.

Entretanto vamos todos poder usufruir da net, no escritório, na varanda (enquanto vemos quem passa), no quarto (nos intervalos do amor), na cozinha (à procura de uma qualquer receita), no bar (presenteados com uma doce bebida), enfim, em todas as situações imagináveis e inimagináveis. Qualquer dia passamos a comunicar todos através do msn ou do skype, sempre fica mais à mão.