Kubuntu do meu contentamento

O meu primeiro contacto com o Linux foi há uns anos valentes quando, na minha escola, foi instalado o Suse para o acesso à Internet. Aquilo esteve praticamente todo o ano a dar complicações e com os alunos a queixarem-se . Na escola não havia ninguém que percebesse do assunto e a assistência era realizada por pessoal externo à própria escola.
Embora tivesse já um ambiente gráfico de janelas (x) as configurações eram feitas através da linha de comandos, o que para mim se tornava perfeitamente incompreensível, tal era a profusão de instruções… mas o espírito da coisa já lá estava…
Como tudo na vida, também os Sistemas Operativos evoluem e, no caso do Linux, a coisa evoluiu de tal maneira que até eu já consigo fazer a instalação do SO no meu PC sozinho… fantástico, não é?
Graças ao Placido, professor de informática na minha escola, tomei contacto pela primeira vez, com a distribuição Ubuntu e posteriormente com o Kubuntu. O Ubuntu tem o ambiente gráfico Gnome, o Kubuntu tem o ambiente gráfico KDE, mas a base de funcionamento é a mesma.
Escolher entre um e outro não interessa mesmo nada, pois uns dizem que o Gnome é melhor, mais puro, mais limpo, etc, os outros dizem que o KDE é que é… mais parecido com o ambiente grafico do Windows e torna-se mais fácil fazer a transição… enfim, só mesmo experimentando.
Eu gosto imenso do KDE, que nesta distribuição se chama Kubuntu.
Em casa já só tenho o Windows para alguns jogos que ainda não correm no Kubuntu, mas lá chegarei…

Deixar uma resposta