MaxiScooter

Eu tirei a carta de condução de mota primeiro do que a de carro. Sempre gostei de andar de mota.Tive uma MZ 250, daquelas que não lembra ao diabo, descomunalmente feia, com um depósito enorme, uma coisa de Leste nunca vista, mas eu adorava aquela mota e ia para todo o lado com ela.
Na altura, o dinheiro que eu tinha ia todo para gastar noutras coisas (coisas=borga) e o equipamento (capacete, luvas, fato de chuva) era muito fraco e acabei por me desfazer da mota porque já não aguentava com a chuva e frio que, aqui no Porto, não são pêra doce.
Agora, passados mais de vinte anos, sem nada o fazer prever, decidi comprar uma MaxiScooter e, com umas ajudas preciosas, fiquei completamente equipado para aguentar as condições de viagem que a minha idade exige, isto é, algum conforto, e nesse aspecto tem sido uma maravilha pois desde que a comprei, em Setembro do ano passado, já fiz 5000Km nas deslocações para a minha escola e mais umas voltitas…
Já só ando de carro para ir levar ou buscar as filhas ao infantário ou para ir fazer as compras volumosas do mês…
Sem querer parecer chatinho, acho que se houvessem mais motas a circular nos grandes centros, a poluição era bem menor e o trânsito não era assim intenso e irritante, mas isso são os políticos que não querem implementar algumas medidas simples mas que seriam eficazes, mas isso também é outra conversa que fica para outra altura.

Leave a Reply