Detesto

Eu sempre gostei de fazer as coisas e de viver os momentos num ambiente de entrega sem ter em conta o lado pessoal. Claro que isto é muito bonito de se dizer, porque o ser humano é naturalmente egoista, mas uma coisa é pensar em si de uma forma egocentrica e outra é ter em conta a opinião dos que nos rodeiam ou que partilham situações e vivências.
Pode parecer mais um discurso palerma, e quem me conhece sabe que as decisões que tomei na minha vida, apesar de radicais, foram custosas, precisamente pelo lado da vivência em conjunto, das emoções partilhadas.
Também pode parecer palerma, mas as decisões que tomei ao longo da minha vida foram sempre fruto da minha intuição, deixo-me sempre levar ao sabor do vento, por muito que eu saiba que no final da brisa pode estar uma tempestade.
A felicidade das pessoas deve ser procurada e trabalhada, mas apesar disso não penso que deve ser mantida só porque sim, só porque dá jeito ou só porque é conveniente. Nunca fui por aí porque a brisa bate-me sempre na cara.

Leave a Reply