Tinha de ser cor de metal.

Quando ando de mota (tirando a passada terça feira em que dei 160 para poder ir ver o fêcêpê) costumo recrear o espírito. Gosto de andar calmamente. As ideias surgem muito facilmente e sou capaz de fazer uma viagem para o trabalho a desenvolver mentalmente uma ideia qualquer. O problema vem a seguir. Pouso a bela da Scarabeo e fico a repetir, algumas vezes (para não dizer muitas) a ideia que tive para depois amadurecer. Acontece que depois, sim, depois, esqueço-me do que andei a pensar anteriormente.
Eu sempre fui muito precoce. Lembro-me de em adolescente só gostar de conviver com pessoas mais velhas e de conseguir manter o nível de conversação. E é isso que me vem à cabeça. A precocidade mantém-se e a esclorose está-me a bater à porta. Só pode. Ou então arranjo um sistema de gravação de voz e passo a ditar tudo para um gravador.
Tinha a sua piada. Andar nos corredores da escola a falar para um gravador e ninguém perceber nada do que se estava a passar. Era moderno.

Leave a Reply