Caramba.

Escrever um texto sobre sentimentos é complicado, mas isso não interessa mesmo nada.
Escrever um testo durante uma aula de substituição (Matemática, imagine-se), então ainda é mais complicado. A única vantagem é que a turma, para além de ser simpática e sossegada, gosta de trabalhar e não param de fazer os exercícios previstos no plano de aula.
Eu, pelo lado que me toca, limito-me a estar presente fisicamente pois não percebo rigorosamente nada de matemática. Nunca consegui fazer uma equação. É uma vergonha, pois reconheço que em determinadas situações sou penalizado e, durante muitos anos, tive uma verdadeira incapacidade para lidar com o assunto. Cheguei mesmo a sentir alguma vergonha quando me deparava com situações em que me era exigido qualquer tipo de raciocínio matemático. Hoje, depois de ultrapassada a fase da vergonha (com tranquilidade…), já não quero saber de nada disso. Não sei e pronto.
Sei outras coisas que, não sendo as mais importantes para o comum dos mortais, são aquelas que eu acho que devo saber. Posto o assunto desta forma, até parece mais uma crise de adolescência, mas não é.

Leave a Reply