Faz parte de mim.

Devaneio.
De vez em quando dá-me para o devaneio. Confesso que já me deu mais. Agora nem tanto. É mais espaçado. Sobretudo por causa das minhas lindas princesas. Não me deixam muito espaço, para o devaneio.
A sexta feira é um bom dia para o devaneio. Gosto de começar pela manhazinha. Levo as meninas à escolinha e depois, depois tenho todo o tempo para mim.
Se eventualmente alguém me perguntasse “mas devaneio? assim? sozinho?” eu concerteza responderia:
”  Sinto uma dificuldade em seguir caminhos preestabelecidos, em proceder de forma “apropriada”. Contrariamente ao que se possa pensar, isso não se deve a algum problema não resolvido com figuras de autoridade; trata-se, antes, de uma manifestação de tédio e frustração: tédio por estar a fazer coisas seguindo uma rotina e excitação por novas abordagens, e frustração por não ser capaz de fazer as coisas da forma como “deveriam” serem feitas.”
Enfim, muito tenho eu de devanear.

Leave a Reply