Não é o caso.

Ele há cada coisa que eu não entendo. Este fim de semana comprei um semanário, comme d`habitude e, na capa da revista, vinha a Bárbara Guimarães a dizer qualquer coisa assim: não gostaria de perder o lado sedutor. E é isto que eu não consigo entender. A senhora parte do princípio de que é sedutora. Mas é sedutora para quem? Que me desculpem os admiradores incondicionais da senhora, mas não a acho minimamente apelativa. Nem um bocadinho. É uma imagem demasiado artificial, demasiado trabalhada, e quando se põe a afirmar que quer continuar a ser sedutora, então está o caldo entornado.
Longe de mim achar que as mulheres têm de ter pêlos debaixo dos braços e um ar desleixado de intelectual. Cruzes, credo, canhoto. Mas não havia necessidade… desta necessidade toda em querer afirmar-se. Aturar uma coisa assim, só mesmo por… amor. O que não é o caso.

Leave a Reply