Porra, outra vez.

O final do outro ano e o princípio deste ano está, realmente, difícil. As coisas não estão a correr nada bem. Depois das peripécias que se passaram, hoje de manhã, quando me preparava para ir trabalhar e estava a escolher uns cds na sala para levar para a escola, comecei a ouvir um ruiduzinho estranho. Parecia qualquer coisa a rachar. Olhei para cima e não vi o deus menino, em palhas deitado, vi antes o estuque, ou massa, do tecto a rachar e as pingas benditas a começarem a cair em cima do sofá. Tratei de arrastar tudo para o lado e fui prevenir a minha senhora para que tivesse cuidado com as criancinhas, não fosse o tecto cair-lhes em cima…
Cheguei agora a casa, com a perspectiva de deparar com o chão cheio de estuque, ou massa, ou o raio que o parta, mas não. A coisa continua a pingar, para um balde que eu lá tinha deixado de manhazinha, mas está seguro.
Agora vou ter de descobrir de qual das duas casas de banho vem o raio da infiltração, o que deve durar alguns dias pois tem de se ir experimentando até se chegar a uma conclusão, isto para se evitar partir a casa toda à procura. Dá um certo jeito, pois o tal de dia vinte e três é só para a semana.

Leave a Reply