Assim.

A minha vida mudou muito.
Ainda não resolvi tudo lá muito bem.
Ainda existe um pequeno conflito para ser resolvido.
Foram muitos anos de completa e perfeita ondulação. Sem destino marcado e sem hora marcada. Hoje isso já não é possível. As minhocas não deixam que isso aconteça.
Não é aí que reside o conflito. Não me faz falta nenhuma o sentir da ondulação. Não é por aí. O meu conflito reside no facto de ser sério de mais na minha relação com as minhocas. Acho que ninguém nasce ensinado e preparado para educar crianças e por isso mesmo estou sujeito a cometer erros durante este processo e já os cometi e, muito provavelmente, irei continuar a cometê-los. Esta parte é fácil e vem nos livros. Também vem nos livros que os pais devem falar, discutir e reflectir sobre as reações, emoções das minhocas e procurarem perceber as suas personalidades. Até aqui a coisa vai. Como também vai a reflexão sobre as opções que se devem tomar na educação das minhocas e que só se vão reflectir passados uns anitos. Do género: terem uma boa relação com o corpo, com a palavra, através da leitura, com a música, de cortar com a televisão e dar-lhes tempo para brincarem sem as encharcar de actividades extra, enfim, coisas que devem ser pensadas e que, penso eu, a maioria das pessoas faz.
O conflito nasce pela minha dificuldade em lidar com a idade mental das minhocas. Saber dosear e adaptar o grau de exigência à idade mental das minhocas. Saber perceber que é um processo a longo prazo, para o qual se deve manter não só a calma e a persistência, como uma atenção muito perspicaz. Acho que vai ser assim a vida toda.

Leave a Reply