Adília Lopes

“Era uma vez uma mulher sem sombra que encontrou uma sombra de homem sem homem. Isto encheu-a de tristeza. Começou a chorar por não ter sombra própria nem homem propriamente dito, homem de carne e osso. Então as lágrimas da mulher deixaram pegadas no chão e o homem pôde encontrar a sua sombra com a sua mulher porque seguiu o rasto deixado pelas lágrimas da mulher. A mulher deixou de se preocupar com a sua sombra. Está contente. Nada lhe falta. Nem a sombra que não tem.”

Leave a Reply