Quando se viram para mim…

Por vezes, mas só por vezes, tenho alguma dificuldade em lidar com multidões. Pequenas multidões, como seria de esperar pois não sou propriamente um líder partidário, ou dirigente desportivo, ou outra coisa qualquer ainda pior. Mas por vezes lido com pequenas multidões. E é nestas situações que me torno uma faca de dois gumes. Tanto se me dá para ser eloquente, o que fica sempre bem, como se me dá para ser extremamente reservado, o que também fica sempre bem. Portanto, e posto isto, não se percebe a razão da dita dificuldade em lidar com multidões. Assim, sem outra explicação, não se percebe, a não ser que eu acrescente um pequeno pormenor. Esse pormenor, de tão pequenino, pode parecer insignificante, mas não é. Pois é. A coisa torna-se complicada quando deixa a esfera do geral e se vira para mim, para uma esfera mais particular. Eu, que até gosto de esferas, não gosto mesmo nada é que me elogiem em público. Fico constrangido e perco facilmente o norte, ou seja, fico desnorteado.

Leave a Reply