Ao amor.

Podemos ser todos muito malucos, muito extravagantes, muito prafrentex, ou o que raio queisermos chamar, mas na hora da verdade somos todos iguais. Todos nós procuramos as mesmas coisas. Todos nós procuramos ser equilibrados; todos nós procuramos evoluir mentalmente e psicologicamente; todos nós procuramos ser reconhecidos pelos outros; todos nós procuramos ser boas pessoas; todos nós procuramos amar e todos nós procuramos ser amados. Sem isto, a nossa existência seria, sem dúvida alguma, muito mais pequenina e muito mais insignificante. Por isso eu digo: Estou feliz com a vida que tenho e espero poder proporcionar alguma felicidade àqueles que me rodeiam e que eu muito estimo. Só me falta mesmo dizer: um grande bem hajam.

1 thought on “Ao amor.

Leave a Reply