Podia-me ter lembrado de escrever outra coisinha…

fantasyfest07-027

Os gaijos são todos iguais? Será que sou um gaijo ou será que sou igual? Ainda estou para descobrir onde é que me encaixo. Apesar de tudo, ele há coisas que eu já sei onde encaixar.

Quando é que os gaijos andam felizes? Quando o sexo corre de feição (Qualquer mulher sabe disso…). Quando é que os gaijos sentem uma parte recôndita do cérebro a mexer e a vibrar? Quando o fêcêpê ganha e passa para a frente do campeonato (Só mulheres de benfiquistas é que não sabem o que isso é…). Quando é que os gaijos deixam de andar sequiosos? Quando mandam abaixo umas valentes cervejolas (Qual é a mulher que se preocupa com o stock?). Quando é que os gaijos ficam com bichinhos carpinteiros? Quando começam a falar de carros e de motas (Será que as mulheres já descobriram o sistema de bluetooth para atenderem o telemóvel…). Claro que a conversa poderia continuar, mas não convém exagerar…

Depois disto tudo será sempre de bom tom, tonsurton, falar dos gaijos, propriamente ditos. O grau de armanço e exibicionismo difere muito de gaijo para gaijo. Há os exagerados, os gabarolas, os tímidos, os morcões, os porcos, os cerebrais, os intelectuais, os boa pinta, os engatatões, os sonsinhos, os meninos da mamã, os javardolas, and so on…

Com toda esta conversa acabei por me esquecer do que ia escrever, por isso apenas gostaria de lembrar que, gaijo que é gaijo, nunca deixa a sua gaija desamparada, dê para onde der, faça ela o que fizer.

Leave a Reply