A coisa.

20081222-91734-5

Assim à primeira vista, a imagem pode parecer desasjustada? mas na realidade tem tudo a ver com o título (apesar de eu só escrever o título no final), como, aliás, tem sido apanágio deste blogue. Claro que os pontos de vista diferem, de ser humano para ser humano e, como somos mais de seis biliões, será natural que existam seis biliões de maneiras de ver a coisa. Convém referir que a coisa é sempre a mesma, agora a forma como olhamos para ela é que é diferente. Continua a parecer meio estranho. Concordo. Não há nada como dar um nome à coisa, sempre fica perceptível e mais facilmente comprensível. Mas neste caso, não me atrevo, sequer, a dar-lhe um diminutivo, pois seria ainda pior a emenda do que o soneto. Como tal limito-me a ficar por aqui, com uma visão personalizada da coisa. Claro que já deu para reparar que não é a minha visão da coisa, mas isso também não interessa nada.

Leave a Reply