Por falar em diabo.

20081105-86821-0

Era suposto ser ao terceiro dia, mas não, tinha de ressuscitar ao segundo dia. Só para ser diferente. Já é mania.

O anti-ciclone dos Açores passou repentinamente pela minha vida, mas foi tão repentino que, apesar de me ter deixado todo despenteado, acabou por não me afectar grande coisa. As tempestades fazem parte da vida das pessoas e é necessário aprender a viver com elas, a saber enfrentá-las, para no final, quando tudo passa, saber encontrar quem nos ajuda a reconstruir e a montar os cacos que ficaram no chão. É para essas pessoas que eu devo concentrar a minha atenção e a minha vontade de viver.

Pronto. Ficou lamechas de todo, mas tinha de ser.

1 thought on “Por falar em diabo.

Leave a Reply