Mário Crespo.

OLY-2008-WATERPOLO-USA-ITA

Quando olho para a cara do homem fico mentalmente consternado. Como é possível toda esta campanha de sensibilização da opinião pública sobre as capacidades jornalísticas deste homem? Sim, como é possível? O homem é um canastrão, daqueles que não se aguentam. Tem dificuldades de dicção, dificuldades de raciocínio, dificuldades de sair de um guião rígido e depois, bem depois, é um lambe botas insuportável. Confesso que ultimamente vi duas “entrevistas” do homem. Também confesso que as vi porque fui induzido em erro pela tal campanha, porque a minha opinião já vem de muitos anos atrás, mas achei que o homem tinha evoluído… eu sei, continuo ingénuo.

Vi a “entrevista” ao Sargentonãoseionome, daquele caso da menina Esmeralda. Não tenho qualquer simpatia pelo Senhor, mas custou-me imenso vê-lo ser maltratado pelo “entrevistador” como se tivesse cometido algum crime, sendo constantemente interrompido com merdices que só o Mário Crespo sabe encontrar… foi uma coisa confrangedora e que tem muito que ver com aquele tipo de jornalismo em que fica bem e dá um ar de inteligente estar sempre a interromper o entrevistado, sem qualquer sensibilidade jornalística e, de preferência, com um tom arrogante e mal educado. Foi o que eu vi. Posso estar maluquinho, mas foi o que eu vi.

Depois vi uma “entrevista” à Procuradora Maria Morgado. Foi uma entrevista muito diferente, cheia de sorrisos, cordial, em que as perguntas esperavam pelas respostas da senhora. Fiquei de boca aberta com a diferença abismal e cheguei mesmo à conclusão que o homem é mortal. Também tem medo do poder, mais concretamente do poder daquela senhora. Porque será? Não sei, nem nunca saberei, mas que me meteu nojo, isso não o posso negar.

Claro que esta é só e apenas a minha opinião, que vale o que vale.

Leave a Reply