Toda a sorte do mundo.

onda1

Hoje comecei o dia mal. As coisas não correram como tinha planeado. Acordei bem cedo para conseguir estar no aeroporto às oito da manhã.  Cheguei às oito e cinco. Não sei se foram estes cinco minutos de atraso que me impediram de me despedir de uma prima minha que vai para o Brasil, durante três anos. Quando cheguei, o check-in já tinha começado e, provavelmente, ela pode ter sido das primeiras. Como não avisei que ia, não se deve ter preocupado muito e entrou. Tive pena porque lhe queria dar uma palavra de conforto e para lhe dizer que é uma mulher de coragem. Ela é sensivelmente da minha idade, tem um menino de sete anitos, era professora efectiva numa escola ao lado de casa, mas pediu exoneração e decidiu ir para o Brasil tirar um curso de próteses dentárias ou qualquer coisa relacionada com isso… porque quer trabalhar com o marido que é dentista… mas que fica cá a exercer. Pronto, foi uma coisa que lhe passou pela cabeça e que ela decidiu ir até ao fim e, quanto a isso, não há nada a dizer. Espero que tudo lhe corra pelo melhor e que a adaptação se faça tranquilamente.

Leave a Reply