Como eu gosto de inventar.

121

Comecei o dia preocupado. Preocupado com algumas coisas. Umas mais valiosas do que outras, é certo, mas todas dignas da minha preocupação.  Claro que não vou estar para aqui a falar das minhas preocupações, era o que mais faltava. Mas se calhar posso falar das minhas preocupações a fingir. Sim, porque eu também gosto de fingir. Afinal, sou apenas um comum mortal, e como tal tenho as minhas coisas, digamos, os meus segredos. O engraçado é que comecei a escrever este texto com a imagem que está em cima cortada. Isto é, só consigo ver metade de uma coxa e um pé da moçoila.  E pus-me a pensar. Afinal do que é que eu gosto? Duma bota de couro? Dum salto alto? Duma lingerie em preto? Dumas algemas? Duma loira fingida? Duma mordaça? Ou de uma venda? Pois é. Isto está difícil. Não me consigo decidir. O que me falta dizer? Só podia pedir a vossa ajuda. Fica bem e é sempre uma boa ajuda.

[poll id=”3″]

Leave a Reply