Há mulheres para tudo.

alarmes

Ele há coisas fantásticas. Acabei de ver um pequeno filme, na internet. Era uma moçoila que estava nua, no meio de um campo muito verde e já com florzinhas. Tinha uma máscara para não ser reconhecida, vá-se lá saber porquê? O cameraman (acho que é assim que se escreve) lá ia filmando à volta da moçoila, que de moçoila… enfim, já tinha trintas e… mas lá ia filmando a personagem, que por sua vez não parava de dançar, daquele tipo de dança em que se mostra que nunca soube dançar… levanta a perna para aqui, levanta a perna para acoli, sempre a esbracejar muito. De repente parou. E eu penso: alto, vai começar a acção! E não é que começou mesmo. Saca de um tupperware (também acho que é assim que se escreve) cheio de bolas de ping pong, branquinhas, muito branquinhas. Fiquei na dúvida! Não estava a perceber que raio de acção é que ia assistir. Respirei fundo e continuei a ver o filmezinho. A moçoila decide ser interventiva e começa a enfiar as bolas de ping pong, uma a uma, em seu lindo orifício anal. Não estava a acreditar no que via. É que as bolas de ping pong são maleáveis (moles é uma palavra desconsolada) e se ainda fossem umas bolas de golfe, durinhas, eu era capaz de aceitar melhor, agora assim… Mas o filme ainda ia a meio (estou a falar de 2m48s) e a moçoila decide começar a expulsar as ditas cujas lá de dentro. O cameraman posiciona-se mesmo em frente do tal orifício e aí eu julguei que a coisa ia animar. Será que vão sair como rajadas de metralhadora? Qual quê? Saíram sem aquele impacto sonoro e visual mas sempre a esbracejar, com movimentos muito artísticos…

Meus benditos 2 minutos e 48 segundos…

Leave a Reply