Trava, trava, trava.

rodas

Hoje passei grande parte da noite, para não dizer praticamente toda, sem conseguir dormir. Não, não estive a entrar em parafuso com as minhas preocupações de saúde  da minhoquinha, apesar de no início da noite ter sido assaltado por um medo incontrolável, acho que já consigo separar as coisas, pelo menos hoje é assim que eu penso. Como cheguei aqui foi muito simples. Lembrei-me do que a minha extremosa esposa me tinha contado acerca de uma amiga que não parava de se vitimizar com determinada situação que estava a viver e com quem teve de se “pegar” para que houvesse uma reação mais positiva da parte da sua amiga, e houve. Claro que são situações diferentes e não comparáveis, mas ambas merecedoras do mesmo tipo de reação.

As situações que vamos vivendo e experienciando vão-nos trazendo outras visões da vida. Foi com isso que eu estive às voltas durante boa parte da noite. Qual o sentido da minha vida? Difícil? Sem dúvida! Só consigo chegar a algumas conclusões, mas não todas! Só consigo perceber que não devo repetir alguns erros do passado, desses eu tenho consciência, dos outros já é mais difícil… Sei que vou ter de mudar a minha vida, mas isso agora é tão secundário que só posso mesmo é… continuar a pensar no assunto.

Leave a Reply