Balelas.

French_Bulldog_puppies

Continuando a saga familiar, hoje fiquei com as duas minhocas em casa. Uma porque está doente, a outra por uma questão de precaução. Não é que a minhoca mais pequena esteja com sinais de quem vai ficar doente, mas ficando eu por casa não há necessidade de ir para a escolinha. Agora, ficar enfiado em casa com duas terroristas… é dose. Tirando a parte do caos, acabo por ter tempo para ir fazendo outras coisas. Uma dessas coisas foi ter tempo para fazer um jantar calmamente (favas com chouriço para nós e frango estufado para as minhocas) e enquanto estava entretido ia ouvindo televisão. No caso, sic.notícias e um programa em que as pessoas podem telefonar para lá a expressar? a sua opinião. O tema era sobre a manifestação dos estudantes universitários. Nestes assuntos de estudantes universitários não consigo resistir a arrebitar logo as orelhas. Comecei por assistir a uma entrevista in loco com um jovem universitário, rosado, por sinal com um bom discurso, articulado (devia vir de algum partido político, na certa) mas completamente vestido com aquelas fardas ridículas que só os verdadeiros estudantes universitários conseguem desencantar… com um chapéu que não lembra ao diabo e que, segundo me parece, custam uma verdadeira fortuna. Quando atiram para a frente de uma manifestação um personagem deste género, a reclamar mais apoios para os pobres dos estudantes universitários, perdem logo toda a credibilidade. O dinheiro custa muito a ganhar, a todos e cada um faz dele o que muito bem entender, mas as associações de estudantes deveriam repensar as suas prioridades quando toca a hora de gastar o dinheiro nas queimas das fitas e afins e dirigiam esse dinheiro sem controle para ajudar os colegas de faculdade que mais necessitam. Eu bem sei que não é esse o objectivo dos fundos das associações, mas não lhes ficava nada mal terem algum tipo de sensibilidade para auxiliarem quem está em situação de carência financeira. Faz-me lembrar o  clero que faz muito barulho a pedir isto e aquilo, mas não é capaz de vender o ouro para ficar só com os dedos, das mãos, para trabalhar, e ajudar o próximo.

E assim se passou mais um belo dia, enfiado em casa, mas na companhia das minhas belas minhocas.

Leave a Reply