Porque é natal, estas coisas não deveriam acontecer.

É caso para se dizer: ufa, que canseira. Como foi possível que tivessem arranjado tão rapidamente, setenta e cinco mil assinaturas, para levarem o caso a discussão na Assembleia da República? Quem está à frente deste tipo de movimentos é, efectivamente, obstinado em conseguir os seus propósitos. Eu sabia que eram assim, pois já o foram noutras ocasiões, mas não tinha a noção de que gostavam tanto de dar prendas natalícias às minorias… O facto de obrigarem a Assembleia discutir o referendo sobre o casamento gay só demonstra que são maus perdedores, ressabiados e que não têm o sentido cívico que se dizem possuidores (possuidores é uma palavra de, não de dois, mas três bicos) e vão acabar por sair deste assunto com as orelhas e o cu a arder. Os direitos das minorias nunca devem ser referendados porque senão nunca vão ter direitos. Será muito difícil perceber isto?

Leave a Reply