Cantando à chuva.

Já deu para perceber que este tempo não vai abrandar. Que a chuva vai continuar a cair e que a vida das pessoas vai ficando cada vez mais chatinha porque a actividade ao ar livre é fundamental. Ou seja, não há nada melhor do que apanhar um pouco de sol na moleirinha para que a vida pareça logo muito mais divertida. Como não vale a pena bater mais no ceguinho, há que tirar proveito daquilo que temos. No meu caso, peguei na bela da Scarabeo e fui a assapar para a escola, a cento e vinte kilometros hora, em plena auto-estrada e com um dilúvio que eu já não me lembrava de ver. Dá-me um gozo indescritível andar à chuva, a ouvir música, bem equipado e sem ninguém a chatear. Está bem, eu sei que estou a começar a repetir-me com esta história da chuva e das motas, mas é o que se vai arranjando no meio desta chuva toda.

Leave a Reply