Deita tudo cá para fora, deita.

Que me perdoem aqueles que são cumpridores, mas uma boa parte dos juízes portugueses são uma valente merda (até digo asneiras). Ainda há pouco tempo estive a ouvir e a ver (convém juntar as duas coisas) um dito juiz português a apelar à desordem civil, apelando a todos os juízes intervenientes nesta treta do face oculta, ou lá como se chama, para dizerem publicamente o que sabem sobre o assunto, por forma a esclarecerem tudo de uma vez. Não sei se foi assim (quanto à forma, os juízes são bem mais qualificados do que eu…) mas o sentido era este. Como é isto possível? Então não é dever de um juiz denunciar/não pactuar/intervir quando é conhecedor de algo que não é legal? Tem de vir um colega picar, como se fazem às vacas, na terra da minha senhora, para elas andarem mais depressa… Não percebo. Como também não percebo como é possível que os juízes, sendo órgãos de soberania do estado português, tenham associações sindicais. Que defendam os seus interesses? Quais interesses? Um órgão de soberania não tem interesses. Limita-se a cumprir a sua função e mainadaaaa. Como eu não sou da terra da minha senhora, limito-me àquilo que sei, neste caso à escolha de uma fotografia ilustrativa. Como também sou pequenino, passo despercebido e fico mais descansado, senão podia sempre estar sujeito a ser acusado de estar a lesar os interesses dos ditos cujos. Quais interesses?

1 thought on “Deita tudo cá para fora, deita.

Leave a Reply