Escarrapachado no sofá, a pensar na vida.

Nem sei muito bem por onde começar. Estou na sala de professores, da minha escola, a fazer horas para uma reunião em horário pós laboral. Não sei, sequer, se vou ter tempo para publicar o que estou para aqui a escrever. Se não o fizer agora, será mais logo, com toda a certeza. Estou para aqui a pensar na minha vida. Acho que estou a ter uma crise, aliás, a minha primeira crise. Claro que com esta idade, está-se mesmo a ver que é uma crise de meia idade… É triste ter crises destas, de meia idade, mas de momento é o que se pode arranjar. Pode ser que a minha próxima crise seja de identidade, não de género porque já é tarde, mas apenas de identidade. Do género: quem sou eu? para onde vou? o que quero? coisinhas assim fofinhas. Mas hoje, agora, não se trata nada disso. É mais aquela coisa do gajo que começa a ficar velho e da confusão que isso pode originar na sua pobre cabecita. Eu que sempre fui um adolescente tardio, sempre há espera da idade da juventude, de repente salto tudo isso e passo directamente para a meia idade… é triste, muito triste e injusto. Acho mesmo que agora estava bom para viver a minha juventude, pelo menos é essa a minha convicção.

Leave a Reply