The day after.

E o prometido é devido. Havia que esperar pelo dia seguinte. As reacções do dia seguinte, portanto. Viram-nas? Eu apenas consegui vislumbrar uma tímida reacção, ainda por cima paternalista. Nada que não estivesse à espera mas sempre mantive aquela esperança secreta de ver um título de jornal do género : Humilhação; Vergonha; Desastre; Desastre táctico. Enfim, qualquer coisita mais forte que tentasse desmoralizar os futuros campeões nacionais. Sim, porque esse sempre foi o objectivo principal de JJ. O resto são cantigas e daqui por uns anos ninguém se vai lembrar destes quatro golitos, da falta de pernas dos jogadores da gaivota para correrem atrás dos outros, das faltas simuladas ou da insistência de JJ para que o guarda redes se aguentasse no seu lugar apesar de não conseguir ver nada e estar com tonturas. Nada disso vai ser lembrado. O que vai ficar para a história do clube da gaivota vai ser a máquina trituradora a marcar golos no campeonato, o monte de “chiclas” que ficam coladas por baixo do banco de suplentes e, acima de tudo, do fair play de JJ.

Leave a Reply