Deus me livre.

 

Consta-se, uhmm, cochicha-se, uhmm, diz-se por aí, uhmm, ouvi dizer que, uhmm, o próximo treinador do fêcêpê, uhmm, vai ser o homem com um dos mais ridículos cortes de cabelo que jamais se viu no futebol português. É que se ainda fosse o mais ridículo, mas não, tinha de ser um dos mais… Bem, se assim for, para além de discordar completamente com o afastamento do Professor Jesualdo, acho que vamos passar de cavalo para burro. Muito honestamente, acho o homem meio parado das ideias, quezilento e com falta de tarimba para estar à frente dum clube como o fêcêpê. Pinto da Costa sempre soube o devia fazer em situações críticas, não que estejamos numa situação crítica (não se pode considerar uma crise ganhar quatro campeonatos seguidos e perder este nas condições em que todos sabemos como o perdemos) mas espero que use de toda a sua sabedoria para resolver mais este imbróglio. Sim, porque para mim é um imbróglio tentar perceber porque raio de carga de água o nome do tal personagem foi falado para ser o nosso treinador. O fêcêpê teve (e tem?) um ciclo de polimento, de polimento de posturas e de saber falar de uma outra forma. Isto deve-se em parte à máquina bem oleada que é o fêcêpê, mas também, e em grande parte, a Jesualdo Ferreira que com o seu discurso ponderado, mas contundente, reflexivo e profundamente conhecedor do assunto, trouxe uma postura mais “internacional” e definitivamente muito acima da mentalidade dos actuais treinadores portugueses. Posto isto, uhmm, espero bem, uhmm, que pensem bem antes de sair asneira.

4 thoughts on “Deus me livre.

  1. admin Autor do artigo

    Nada mal, mesmo, e esperemos que assim continue:))
    Mas que estou curioso, lá isso estou:)) Esperemos pois para ver:))
    Abraço ainda mais azul e branco:))

  2. José Maria Carvalho

    Caro Rui,

    Cá dentro costuma-se dizer que o Clube tem paredes de vidro para dentro e paredes de betão para fora.
    Mesmo cá dentro, as paredes apesar de serem de vidro, são de vidro fosco…deixam ver muita coisa mas, não deixam ver o essencial.
    Por isso, sobre esse tema (e outros), não posso adiantar muito.
    Há muito que aprendi a confiar.
    E não nos temos dado mal com isso!!!???

    Um abraço azul e branco,

    Zé Maria

Leave a Reply