Os sonhos são fodidos.

A memória já não é o que era. Não faz mal. Comprei um bloquinho para tomar notas. O grave é quando me esqueço de tomar notas. É o caso. Esqueci-me de assentar alguns pormenores e agora só me lembro de parte do assunto. Ainda por cima é um assunto “sonhável”, isto é, foi um sonho que eu tive. Eu sei que é horrível contar os nossos sonhos, mas não resisto e vou tentar ser breve, que os detalhes dos sonhos dos outros são o must do insuportável. Sonhei que a minha rica senhora era estudante universitária (portanto, uma moça pura e a acreditar que ia mudar o mundo), que vivia numa cidade qualquer do interior (que tinha um pólo universitário…) e que vivia numa casa alugada (casa, é uma forma de expressão, era mesmo um apartamentozinho). Eu bem tentava ir visitá-la aos seus aposentos e ela sempre dava uma desculpa. Umas vezes a desculpa era esfarrapada, outras fazia todo o sentido (aquela treta das frequências… e coisa e tal…) e lá ia eu vivendo esta realidade. Houve um dia que não deu mesmo para adiar a minha visita, já andava desnorteado por não conseguir estar na sua casa em verdadeira intimidade, vai daí meto-me a caminho, sem avisar. Chegado, toco à campaínha. Não sei muito bem porquê, aparece-me a minha rica senhora, nua, cheia de sono e a olhar para mim como quem não está a perceber o que lhe está a acontecer. Por acaso está calor, digo eu, assim meio atrapalhado, está um dia fantástico, estavas a preparar-te para ir para a praia? Como não houve resposta, acabei por entrar.  Conversa puxa conversa e acabei por ir para o quarto da minha rica senhora, porque o que eu queria era conversa. Entrei e deparo com quatro matulões na sua cama. Fiquei a olhar e perguntei o que estavam aqueles rapagões a fazer na cama dela. Normal, não? Digo eu. Ah, e tal, os apartamentos estão muito caros, é preciso dividir despesas, e não há nada como partilhar o apartamento com outras pessoas para se conseguir sobreviver, que esta vida de estudante é difícil. Como eu devia ter um ponto de interrogação enorme (não queria dizer na minha testa, porque isso sou eu a dizer fora do sonho…) estampado no rosto, a minha rica senhora apresta-se a dizer muito rapidamente que o apartamento só tinha um quarto e uma cama, por isso tinham de dormir todos juntos. Mas que isso não queria dizer nada, até porque ela dormia junto do mais gordinho, aquele só pensava em estudar e comer. Os outros ficavam do outro lado da cama. Entretanto toca o despertador e eu acabei por não ficar a saber as cenas do próximo capítulo. Fui vigiar um exame de língua portuguesa, com apenas um aluno, mas a pensar no que teria acontecido depois, no raio do sonho.

3 thoughts on “Os sonhos são fodidos.

  1. Santopkador

    Vim parar aqui por acaso, mas só para ver este par de “argumentos”, já valeu a pena.

Leave a Reply