Não estou fechado para balanço, mas a meditar…

Tenho andado com umas vontades. Não são vontades conhecidas. São umas vontades de fazer umas coisitas muito pessoais. Nada de mais, mas que me iriam dar algum consolo. Sem querer entrar naquele discurso da idade, mas já entrando, olho para trás e vejo muita satisfação pela vida que já vivi, mas também vejo algumas oportunidades desperdiçadas. Oportunidades poderá não ser bem a palavra exacta porque não gosto da palavra em si, pelo simples facto de me parecer estar sempre intimamente ligada com oportunismo. Manias. Mas, de facto, poderia ter feito mais, muito mais e com mais intensidade. Não calhou mas também não sofri grande coisa por isso mesmo, nem vou sofrer. Pelo contrário. Muito menos queria entrar na onda de “para a frente é que é o caminho” pois também não tenho pachorra para pessoas assim. É o que tiver de ser e assim será.

Leave a Reply