Se bem que eu acho que mereço outra coisa.

Quase sete anos depois, fui fazer análises ao sangue. Fui vigiar a minha saúde. Coisa que não faço, como já se percebeu, muito regularmente. Mas desta vez achei que estava na hora. Tenho alguns amigos que já estão cinquentões e que tudo lhes apareceu nesta idade. Não é que eu queira ficar atrás deles, mas como estou quase, quase a fazer cinquenta achei por bem fazer o raio dos exames. Também não será muito difícil perceber que os resultados foram animadores (se fossem arrasadores não estava aqui a escrever isto…) e por isso, quando cheguei a casa para almoçar, tratei logo de assar uma chouricinha (daquelas de Trás-os-Montes…) e consolei-me, que isto dos resultados serem animadores pode não durar eternamente… por isso, haja saúde e tudo o resto não tem importância. Por falar nisso, vou ter de começar a preparar a papelada para a minha avaliação de desempenho docente, aquela que só quem está por dentro percebe que é uma perfeita anormalidade. Anormalidade porque é apenas um processo burocrático (ainda por cima mal elaborado) e que não prestigia não só quem a elaborou, como também quem tem de a gramar. Até gostava de ver como seria se um médico tivesse um colega a assistir às suas consultas e se depois tivesse que passar por todo o processo burocrático, para legitimar o seu diagnóstico ou a sua prescrição. Havia de ser bonito. Ou então, um juiz que, do alto do seu pedestal, tivesse que gramar com outro colega a tomar notas sobre as suas intervenções ou sobre a sua interpretação da lei. Era o caralho, que é o que me apraz dizer. Mas, cada um tem o que merece, sempre foi o meu lema e por isso vou ter o que mereço.

2 thoughts on “Se bem que eu acho que mereço outra coisa.

  1. admin Autor do artigo

    Ihihhih
    Mas isso quer dizer que temos de retomar as nossas corridinhas, mal o tempo aqueça mais um bocadinho:)) é que não dá para ficar à sombra da bananeira:))
    Abraço

  2. Tomás

    O senhor está em forma…
    Muito bem!
    Não é a presença de um fantasma que inibe o que quer que seja.
    És como és e ponto final, o resto são chouricinhas de Trás-os-Montes.
    Abraço

Leave a Reply