O corpinho que já foi belo.

Enquanto o mundo gira, eu vou vendo fotografias de gente gira. Ficou foleiro? Também achei, mas foi mais forte do que eu. Foi como que um apelo do ser violento que está dentro de mim. Pouca gente o conhece. Ao tal ser violento, mas eu conheço-o bem. É ele que me leva ao trabalho. Todos os dias acordo e penso naquilo que ele poderá estar a pensar. Trabalho e mais trabalho. Infelizmente acabo por tomar banho, vestir-me e vou para o emprego. Coisa mais chata. Por falar em coisas chatas. Lá vou vendo a gente gira. Gira da internet. Normalmente cenas de sexo. Sexo sem nexo. Para matar o tempo. E vou pensando que devo fazer uma tatuagem. Vou fazer um desenho para uma tatuagem, que isto de andar com desenhos dos outros no belo do corpinho… não está com nada.

Leave a Reply