Se ao menos soubesse o nome da senhora…

Tem dias assim. Andava eu muito descontraído pelo Ikea, vendo umas camas aqui, uns sofás acolá, observando uns copos e umas panelas, quando de repente ouço: oh menino, oh menino. Primeiro achei que não seria nada comigo… por razões óbvias… mas afinal era mesmo para mim. Era uma senhora, que deveria ter uns cinquenta anos… portanto, da minha idade… que me estava a chamar para que eu ajudasse a ver um preço de uma chávena de café. Lá fui eu a sorrir. Mas a sorrir por duas razões: a primeira foi por causa do menino, claro está. A segunda foi mais hilariante. É que eu não levava os óculos e, com esta idade, não consigo ler as letrinhas pequeninas… tal como a senhora também não conseguia… mas lá estiquei o braço com o preço bem viradinho para mim e… inventei um preço que me pareceu real… fiz um comentário acerca das vantagens da chávena ser em metal e lá continuei para a secção dos candeeiros. Feliz e contente, a assobiar.

Leave a Reply