Ricardo Guimarães.

Ontem foi um dia encantador. Assim, à primeira vista, posso induzir as pessoas a pensarem que me casei à beira-mar, vestidinho de branco ou qualquer outra manifestação amorosa. Não foi bem isso que aconteceu, pese embora a coisa também tenha tido um lado amoroso. Fui com as minhocas e o meu mano (a minha rica senhora teve outros afazeres…) visitar o Ricardo Guimarães, meu amigo de há vinte e cinco anos, que continua o mesmo de sempre, com os seus cães magníficos e os seus cavalos poderosos. Foi uma tarde de conversa, num tom muito próprio, cheia de graça e boa disposição, como só ele nos sabe presentear e fica sempre difícil a despedida. Felizmente que as coisas estão a correr-lhe de feição e está com um projecto mais sólido e estável. Só lhe falta aquela pontinha de sorte para que a vida lhe sorria. Se dependesse de mim, este amigo estaria nos píncaros, que é onde ele merece estar. Bem hajas Jó.

Leave a Reply