Nova corrida, nova viagem…

Que me desculpem os meus amigos esquerdistas, sindicalistas e demais defensores dos direitos do povo. Amanhã é mais uma jornada de luta, de acordo com as convocatórias… Greve geral. É o que lá diz! Mas esta coisa da greve geral tem muito que se lhe diga. Na minha opinião é uma greve dos trabalhadores da função pública. Acho uma treta pegada generalizar a greve se, como todos sabemos, o que obriga o sector privado a paralizar são a falta de transportes (que são quase todos públicos ou semi-públicos) e não há alternativas suficientes para as pessoas irem trabalhar; são as escolas que fecham e os pais têm de ficar com as criancinhas em casa; são os hospitais que paralisam. E sobra o quê? Todas as restantes actividades produtivas continuam a trabalhar e a produzir. Ou estou errado?

Não me custa nada admitir que temos de reclamar contra uma data de tretas que nos estão a impingir. Contra uma data de injustiças que continuam a existir. Mas será que temos de fechar o país para termos voz? Não poderíamos fazer uma gigantesca manifestação, a um sábado por exemplo, contra estes senhores políticos que só pensam em governar o bolso deles? Andam os desmandados do governo a tentarem aumentar o tempo de trabalho para aumentarem a produtividade para, num só dia, darem cabo dessa mesma produtividade… faz-me um bocadinho de confusão…

Leave a Reply