Quando me ponho a ouvir música da treta… dá nisto…

Por falar em não ter nada para falar, vou mesmo falar da imagem anterior, a que coloquei no post consecutivamente antes deste. O aspecto do corpo continua a pesar nas decisões que as pessoas tomam para se aproximarem umas das outras. Podem dizer tudo o que quiserem, do género: o que interessa é o espírito, é a personalidade, é o humor… é o que se quiser… inventar na hora em que dá mais jeito… Tudo isso também é válido mas, na hora da verdade, o corpinho é que dita a lei. No início é uma cena visual, depois torna-se numa cena tridimensional. É a química ao serviço do ser humano… das suas vontades e dos desejos… Eu pelo menos acho que assim é. Como também acho que para cada panela há sempre um têsto (será que é assim que se escreve…?) que se ajusta na perfeição. E conheço alguns que fazem questão de se afirmarem pela diferença…

2 thoughts on “Quando me ponho a ouvir música da treta… dá nisto…

  1. José Luís Ferreira

    Poís é, o aspecto exterior conta e de que maneira…
    É mesmo a lei ditáda pelo corpinho que se eleva sobre todos os outros valores, mesmo aqueles que , por serem politica e moralmente correctos, são ditos na circunstancia, assim em cima do joelho, só para disfarçar a coisa… e até nos fica bem, ou não.
    Vista a coisa com olhinhos de vêr, diria que à primeira fisgadela, se valoriza muito mais a” moldura” que própriamente o “quadro” em si e tudo o que nos pode transmitir. Isso, vem no seguimento, com o olhar mais atento e o apurar dos sentidos para a especificidade e valor intrínseco da “pintura”.`
    À primeira vista, quando a “panela” se nos afigura bem polida, brilhante, bem moldada, com as asinhas no sítio, etc. etc. etc. … sálta-nos o testo (é assim testo não tem “chapéu”) e logo para tapar o buraco à dita… ficámos felizes, é esta, encaixou justinho, mesmo à medida, pensamos. Mas pensando melhor, será que este tiro certeiro não é um mero capricho da Natureza? Experimenta no teu próprio nariz, qualquer dos dedos da tua mão, entrará justo nas tuas narinas, mas todos eles são diferentes… daí que hája efectivamente sempre, um testo para uma panela, é uma questão de adaptabilidade como diria Darwin … não me apetéce escrever mais, isto dáva pano p`ra mangas !!!

Leave a Reply