A rede social que está na moda.

Acabei de ler uma mensagem no facebook do meu amigo Carlos (ele que me perdoe por escrever aqui o seu nome, mas há muitos Carlos…) que fazia sentir o seu desagrado com o facebook e com as pessoas que por lá andam. Queixava-se o Carlos de que não existe qualquer tipo de veracidade nas relações do facebook. Que é tudo muito imediato e superficial. Com pouca elevação, educação e por aí fora… E então eu não sei o que isso é? O meu amigo Carlos também deveria saber que este tipo de redes sociais servem para isso mesmo… socializar… e não passam disso mesmo. Volto a tocar num assunto que já aqui referi há uns tempos. O facebook foi fantástico (continua a ser) para encontrar pessoas que já existiam na minha vida e para essas não preciso de estar com tretas mais ou menos cool para os impressionar ou superficiais ou ainda de afirmação do meu ego. Não preciso de nada disso porque a amizade já lá estava há muito tempo, só que estava afastada, devido às condicionantes da vida. Acho mesmo que nunca desenvolvi nenhuma amizade séria ou interessante através do facebook. Vou achando piada a algumas “amizades” e vou vendo no que é que a coisa vai dando. E siga a banda. É um bocadinho como as cenas de engate através do facebook, há aos montes, conversas mais ou menos premeditadas e respostas que se querem ouvir. É tudo uma grande treta e só acredita quem quer, apesar de eu acreditar que existe o Pai Natal.

Leave a Reply